Candidatura do PS a Câmara de Lobos propõe nova valência social para o antigo Centro de Saúde

A candidatura do PS à Câmara Municipal de Câmara de Lobos tem nas questões sociais uma das principais “bandeiras” eleitorais no compromisso que pretende efetuar com a população câmara-lobense.

Neste sentido entende que após a desativação do antigo dispensário e Centro de Saúde de Câmara de Lobos, é imperioso efetuar um projeto de recuperação que preserve a memória deste espaço, bem como dotar esta infraestrutura de base partilhada agregando diversas instituições do nosso concelho ou fora deste, para que estes parceiros possam desenvolver toda a sua atividade em espaços dignos e próprios de forma a resolver ou mitigar os problemas sociais da nossa comunidade.

Por tal facto, o PS sinalizou em reunião de câmara, há uns dois meses, a possibilidade desta valência albergar uma associação que para a nossa comunidade é importante, de seu nome “Associação Reto”, uma instituição sem fins lucrativos e tem como finalidade ajudar de forma gratuita pessoas com problemas de toxicodependência, alcoolismo e marginalidade social, e que apenas solicitam um espaço para que os seus profissionais possam desenvolver a sua atividade.

“Entendemos que este flagelo social tem de ser acompanhado e combatido, não em carrinhas que estacionam na via-pública como atualmente acontece, mas em espaços fixos para que os profissionais e utentes possam ultrapassar o seu problema da forma o mais discreta possível tendo em vista a sua plena recuperação, pessoal e social”, disse a candidata.

A associação tentou chegar a contacto com a Câmara Municipal e segundo informações de que a candidatura socialista dispõe esta associação só terá uma audiência em meados de outubro, o que lamenta visto que estas questões não podem nem devem ser menorizadas muito pelo contrário.

“Para o PSD os problemas sociais do nosso concelho têm de ser escondidos, e uma vez mais por questões eleitoralistas, até parece que a Câmara entrou “em modo de férias”, pois continua-se a adiar o inevitável, perpetuando os problemas, perpetuando os dramas sociais, perpetuando a integração social dos nossos concidadãos”, remata.