Estepilha: Continência à bandeira do Mónaco

Inauguração que se preze não pode deixar de ter uma boa manifestação popular à moda madeirense. E essas manifestações incluem geralmente as excentricidades de alguns lídimos representantes do bom povo local.

Foi o que aconteceu esta tarde, aquando do descerramento da placa realizada pela escultora Manuela Aranha e da atribuição do nome “Largo Alberto I” à Rotunda do Lido. Pouco faltava para a chegada do príncipe Alberto II de Mónaco, e as demais entidades oficiais já se acotovelavam nas imediações, quando um simpático autóctone, ignorando a ostensiva presença da musculada autoridade policial nas redondezas, se chegou como quem não quer a coisa à frente da placa coberta com a bandeira do principado do Mónaco, se perfilou galhardamente em posição de sentido e, com o ar mais sério do mundo, prestou homenagem com uma continência, ao pavilhão monegasco. Os repórteres fotográficos fuzilaram-no com flashes das suas máquinas fotográficas, por entre risos, imortalizando o momento.

Observando com um olhar atento mas todavia complacente dos polícias presentes, uma vez homenageado aquele pequeno Estado soberano, seguiu à sua vida.

Alberto João Jardim pode ter deixado de protagonizar as inaugurações, mas estas continuam a registar momentos divertidos de espontaneidade popular.