Rebocador que esteve baseado na Madeira ajuda no resgate do cargueiro incendiado em Canárias

O rebocador ‘Red Sea Fos’. Fotos Paulo Farinha

Os rebocadores ‘Miguel de Cervantes’, da Autoridade Marítima Espanhola, ‘VB Hispania’ e ‘Red Sea Fos’, este último baseado na Madeira cerca de um ano e contratado pela companhia dos Estados Unidos ‘Resove Marine’, especialista em resgate de navios acidentados, estão a acompanhar o “MV Cheshire” cuja parte da carga de 42,6 mil toneladas de fertilizante à base nitrato de amónio entrou em combustão a sul de Canárias, numa viagem da Noruega para a Tailândia.

Segundo os jornais de Canárias “La Provincia” e “Canarias 7”, um quarto rebocador, o ‘Jacques 2’, também se dirigiu ao encontro do cargueiro acidentado.

O incêndio deflagrou num dos porões do navio graneleiro britânico no dia 13 de Agosto, a sul das Canárias.

O navio de 190 metros encontra-se atualmente a ser acompanhado em águas internacionais, com alguns dos rebocadores a lançar água para tentar extinguir as chamas.

Os 24 tripulantes foram evacuados mas já houve pessoal de resgate que subiu a bordo.

O risco inicial de explosão manteve afastados os rebocadores de salvamento e de combate a chamas, entre os quais o rebocador de alto mar ‘Red Sea Fos’ baseado na Madeira há um ano.

Apenas parte da carga ardeu uma vez que há porões que se mantiveram intactos.

Para já está descartada a hipótese de o armador Bibby Line Limited ponderar o afundamento do navio.

Uma vez controlado o fogo, a ideia é aproximá-lo da costa (nunca menos de 30 milhas) para, em águas menos agitadas, poder resolver definitivamente o problema.

Um helicóptero procedente do Malí está a apoiar a operação.