Filas intermináveis nos reembolsos da saúde levam utentes a sugerir ampliação do espaço

Começa a ser crónico como é habitual nos assuntos relativos à saúde dos utentes. As filas para os reembolsos na saúde, na Rua das Pretas, são cada vez mais intermináveis e transbordam até para a rua da Carreira.

Criança e idosos são os que mais esperam e desesperam com um monitor a acusar inúmeras senhas por despachar. São sete funcionários no atendimento, cada vez mais célere e eficaz, mas o afluxo de utentes, em tempo estival, deixa os serviços sem mais margem de resposta.

Tal como o FN tem vindo a alertar nos últimos tempos, cada utente, durante uma manhã como hoje, aguarda mais de 60 minutos para ser atendido. O IASAUDE criou uma caixa de correio para que os utentes deixassem, em carta lacrada, os serviços que pretendem ver reembolsados, mas a maioria ainda confia mais no atendimento direto ao balcão.

A aplicação no móvel para monitorizar o andamento do atendimento permite também aos utentes realizar outras voltas pela cidade e regressar para o reembolso remetido à banca. São iniciativas positivas que o cidadão aplaude, mas também é notório o facto de as mentalidades se agarrarem à tradição, preferindo aguardar, no espaço diminuto, até o monitor acusar o momento de cada um ser atendido. Por isso mesmo, uma das sugestões mais ouvidas hoje neste serviço do IASAUDE é a de que deveriam ampliar o espaço da secção mais concorrida da saúde a nível regional, logo após o banco de urgência. Neste tempo de verão, transforma-se numa sauna. Tal não acelera o atendimento mas pode proporcionar outras condições de trabalhos aos profissionais e ao público que espera e desespera.