Unidade hoteleira a norte da Santa Casa “pode ser projeto charneira da Região” e Matur tem solução à vista

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Empresário adquiriu terrenos na Matur e pretende recuperar a piscina e investir no setor hoteleiro. Foto Rui Marote

A ativação de um programa de eventos, distribuídos por todo o ano, foi como que uma fórmula mágica para contornar os efeitos das restrições financeiras da Câmara de Machico. O presidente da autarquia diz mesmo que foi “uma estratégia delineada em função da inexistência de capacidade financeira para grandes investimentos na área promocional. E foi por isso que começámos a apostar nos eventos, sejam eles de índole cultural, recreativa ou desportiva”.

Concelho com mais iniciativas

Ricardo Franco diz que, provavelmente, “Machico é o concelho da Região que mais iniciativas promove e que cria mais atratividade, não só para os visitantes mas também para os investidores. Queremos que os investidores percebam que têm aqui um município dinâmico, com ideias, criando condições para o desenvolvimento do turismo, e penso que temos conseguido isso”.

Sendo um concelho com grande potencial turístico, envolvendo a componente do litoral que constitui uma oferta importante sobretudo em períodos de verão, mas também criando polos de dinâmica na serra, Machico situa-se, no setor do turismo, como um centro potenciador de crescimento. O autarca anuncia a existência de várias propostas de investimento, umas que já deram entrada na Câmara e outras que estão em vias disso, que irão criar uma maior oferta em Machico e dar um impulso à economia do concelho”.

Unidade hoteleira próxima da Santa Casa

Machico Santa Casa
Uma unidade a construir próximo da Santa Casa, com componente de ecoturismo, será “exemplar”, diz Ricardo Franco.

Um desses projetos prende-se com a implantação de uma unidade hoteleira, num terreno a norte da Santa Casa da Misericórdia, envolvendo uma componente de ecoturismo. “Trata-se de projeto exemplar em termos de enquadramento paisagístico, penso mesmo que será um projeto charneira, em termos de Região, tendo em conta os socalcos existentes na zona e o respetivo aproveitamento”. O investimento aguarda apenas parecer do Turismo.

Outro investimento, que já foi anunciado e que também está com pedido de parecer emitido, situa-se a norte do novo cemitério do Caniçal, igualmente com sensibilidade ecoturística, envolvendo um sistema de “bungalows”, com um pequeno hotel, restaurantes, espelhos de água e percursos pela floresta.

Boas perspetivas para a Matur

Ricardo Franco admite que, nos próximos anos, Machico possa registar esses novos investimentos privados, com reflexos na economia e na criação de postos de trabalho, também este um problema do concelho, tal como acontece um pouco por todo o lado. O número de camas é por vezes insuficiente e o autarca pretende criar maior oferta para corresponder às necessidades. O avanço de novas infraestruturas é fator positivo, mas quando falamos da Matur, que ali está há anos sem solução, a situação muda de figura relativamente a um plano concreto. Mas pelo menos há já um indicador que pode dar alguma “luz ao fundo do túnel” no que diz respeito ao futuro daquele que já foi um espaço de excelência do turismo de Machico e até, mais globalmente, da Região.

“O empresário Paulo Nóbrega adquiriu o espaço e é sua intenção valorizá-lo do ponto de vista hoteleiro, além de pretender recuperar a piscina. Na faixa que vai desde a piscina até ao miradouro, o plano prevê não só a construção de habitação como de hoteleira, aguardando-se que tenha seguimento aquilo que neste momento se encontra no plano de intenções”.

Ampliação do hotel de Estêvão Neves no Santo

Ricardo Franco refere ainda dois outros investimentos que estão planificados, um para a zona de fronteira entre Machico e Santa Cruz, na freguesia de Água de Pena, da responsabilidade de um conhecido empresário, mas que neste momento apenas entregou a ideia e por isso não podemos divulgar mais pormenores. Outro relacionado com ampliação do hotel no Santo da Serra, propriedade do empresário Estêvão Neves, que prevê ainda a construção de casas turísticas. O plano de pormenor foi esta semana à reunião de Câmara, que aprovou a discussão pública”.

O presidente da autarquia acredita que, com estes investimentos, “que revelam um crescimento em termos de atratividade de Machico”, dentro de dois, três anos, “temos um concelho com uma outra oferta turística, muito mais consentânea com a realidade e dentro do crescimento que tem sido registado”.