Cerca de 7 mil pessoas no primeiro dia do Summer Opening

Pela primeira vez na história do festival, o primeiro dia da edição de 2017 do NOS Summer Opening esgotou.

Ontem, dia em que subiram ao palco os madeirenses SOU, os Átoa, Bezegol & Rude Bwoy Banda e o brasileiro Seu Jorge, cerca de 7 mil pessoas lotaram o Parque de Santa Catarina, no Funchal.

O dia começou com os madeirenses SOU, que viveram a primeira experiência num grande palco. “Foi uma experiência bastante boa”, confessou Pedro Silva, dos SOU.

Logo a seguir, os Átoa fizeram o muito público que já estava no recinto cantar e dançar. Para João Direitinho, esta estreia na Madeira “superou as expectativas”. “Nós achamos que foi um espectáculo maravilhoso da parte do público e também para nós”, descreveu, confessando que ficou a vontade de voltar. “Por nós, tocávamos amanhã (hoje) também, se alguém faltar, chamem os Átoa”, gracejou.

Bezegol ainda não tinha entrado em palco e o público já o chamava. O artista do Porto foi recebido em grande no Funchal e, no final, nem conseguia acreditar no momento que tinha experienciado há poucos minutos. “Foi mesmo em grande, ainda não estou em mim”, descreveu.

“A organização, durante o dia, não podia nos ter tratado melhor e depois chegamos à hora do concerto e corre assim? Está a ser um fim-de-semana mesmo muito bom”, salientou. Bezegol confessou que este concerto fê-lo sentir com se estivesse em casa, no Porto.

“Foi mesmo bom, não estava à espera de chegar à ilha e as pessoas conhecerem-me na rua, virem cumprimentar e falar dos temas que toco… isto, para um artista como eu, é tipo, não tenho palavras”, continuou, confessando que este concerto vai dar-lhe a inspiração final para o disco que está para sair.

Por fim, a noite acabou em grande como se previa. Os milhares de pessoas que estavam no recinto ouviram e dançaram ao som de Seu Jorge que deixou para o fim as músicas mais conhecidas, como ‘Burguesinha’ e ‘Amiga da minha mulher’, num concerto em que confessou que não tinha um alinhamento certo e em que teve a participação especial de Dengaz no tema que têm em conjunto, ‘Para Sempre’.

“Foi maravilhoso ser recebido desta maneira por este público e fazer parte do recorde de pessoas, participar deste momento”, disse. “Quando está tudo certo, temos de comemorar porque é imprevisível, tudo isto é muito subtil e sensível também, controlar uma multidão de quase 7 mil pessoas não é muito fácil, mas quando chegamos a um lugar como este, o Funchal, e ver as pessoas em modo Verão, isso injecta uma pré-disposição a mais do que a que a gente tem”, salientou, vincando que leva “uma boa lembrança e um desejo de retorno breve”.

Hoje, segundo e último dia do festival, ao palco sobem os madeirenses Men on the Couch às 19h, seguindo-se Dillaz (20h30), Mundo Segundo & Sam The Kid (22h15) e Nelson Freitas fecha o cartaz com a actuação marcada para as 00h00.