A saga da família Alves: quadrigémeos com boas notas na universidade mas o estudante de medicina procura alojamento em Lisboa

Imagem registada dos finalistas do 12.º ano, com a mãe, quando a maratona universitária estava prestes a começar. Fotos DR.

É a saga de uma família cuja luta e resiliência são inspiradoras e merecem registo. Há cerca de dois anos, o FN revelava a história dos quadrigémeos pela voz da mãe, Nélia Alves. Os então estudantes do 12.º escolaridade precisavam de apoios para entrar no ensino superior. Ao sonho juntou-se o combate e a solidariedade. Os quatro entraram em simultâneo no ensino superior. Uma aventura, um sonho de família, uma obra dispendiosa que singrou. A solidariedade de vários quadrantes falou mais alto e, neste momento, a mãe dos quadrigémeos revela que todos os filhos transitaram para o terceiro ano dos respetivos cursos superiores com notas altas, o que enche de orgulho e gratidão Nélia Alves.

No entanto, os espinhos não desapareceram. O estudante de Medicina em Lisboa, Nuno Alves, precisa de alojamento para o terceiro ano. A mãe agradece reconhecidamente a generosidade de uma arquiteta (Espaço A) que gentilmente soube acolher este jovem estudante ilhéu. Mas o apartamento cedido ao Nuno terá de ser ocupado e o jovem procura agora alojamento junto ao Hospital de Santa Maria, onde estuda. Com o seu espírito combativo e persistente, a mãe tenta descortinar alguém que viva na cidade universitária que também possa acolher o estudante madeirense e daí o seu apelo aos leitores do FN que têm acompanhado desde a primeira hora esta família.

Quem ajuda o Nuno?

O futuro médico está envolvido em muitos projetos na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, quer como monitor de anatomia, quer na área da investigação e ainda pretende integrar a comissão de estudantes. Numa oral de neuroanatomia teve 20 valores, observa com orgulho a mãe, sempre a pedir desculpa por se mostrar envaidecida com o desempenho dos seus tesouros. Isto significa que o aluno fica a estudar no Hospital até de madrugada e precisa de ter um alojamento por perto para poder prosseguir os seus estudos.

A família sempre unida é uma das razões do sucesso de todos.

Nélia Alves revela que retomará o ciclo da burocracia para a solicitação das bolsas de estudo para mais um ano letivo – cujos valores só entram mais tarde – e espera contar com o apoio solidário de algumas entidades que ajudam com grande discrição. Mas não chega, porque quatro filhos a estudar em simultâneo no ensino superior é uma grande e dispendiosa batalha. Tem consciência de que são muitas as famílias que atravessam sozinhas dificuldades para terem os seus filhos nas faculdades. Mas o percurso dos filhos, no meio de tamanhas adversidades, deve ser continuado até que atinjam os seus objetivos e possam servir a comunidade que os tem apoiado.

Mérito académico dos 4

A Beatriz Alves estuda Fisioterapia em Lisboa e é conhecida pela sua dedicação às causas que abraça e doçura. Quando foi para Lisboa, teve de ficar alojada numa modesta residência em Chelas com deslocações diárias para a faculdade, no Parque das Nações. A mãe regressou com o coração doído mas tudo tem sido ultrapassado com garra e fé.

Os outros dois filhos, Diogo e João estudam na Universidade da Madeira, no curso de Educação Física e Desporto e, mais perto de casa, as despesas são naturalmente inferiores. Mas os jovens não se ficam pelos estudos. Além de terem boas notas, o João treina um grupos de crianças para melhorar o seu currículo, enquanto o Diogo faz voluntariado na Cruz Vermelha Portuguesa e procura seguir sempre as orientações dos coaches do Clube Naval do Funchal, pois revela uma vontade extraordinária de aprender.

Nuno e Beatriz ainda se encontram a concluir os estudos deste segundo ano, em Lisboa. Depois as férias, mas também neste período ninguém pode cruzar os braços. O Nuno e o João trabalham nas férias para pouparem para os livros e iniciar depois os mestrados.

O sonho do pai dos quatro jovens a concretizar-se, graças ao heroísmo da mulher, Nélia Alves.

Nélia Alves surpreende-se até com o percurso académico dos filhos: “Eu costumava ter boas notas, mas esta dedicação que demonstram aos estudos é reveladora de que estudam porque amam os seus cursos, e isto faz toda a diferença. Além disso, não se cansam de me expressar o seu amor e gratidão por todo o esforço que faço, como mãe e pai, para que tenham a sua formação, o que não deixa de me orgulhar e incentivar a minha luta”.

Nélia, o pilar da família

Como o FN já revelou há dois anos, Nélia Alves viu-se, há cerca de três anos, inesperadamente enlutada com a morte súbita do marido. Além deste desgosto, o trabalho que tem nem sempre lhe garante rendimento. Sendo guia de turismo, o trabalho é periódico. Não dispondo de um vencimento regular, confrontava-se com quatro filhos, então com 18 anos, a frequentar o 12.º ano de escolaridade, com o sonho de frequentar o ensino superior. O assunto foi divulgado pelo FN, dado o apelo de Nélia Alves. A solidariedade de madeirenses e continentais foi evidente e tem também ajudado a família a concretizar este sonho, que era também o sonho do falecido pai dos jovens.

Esta foi a conta que foi criada, logo de início, no BPI para ajudar os estudos superiores dos quadrigémeos.

 

Preços chocantes em Lisboa

Hoje, com 20 anos de idade, os resultados dos quatro estudantes provam que valeu a pena deitar-lhes a mão. Mas a etapa que se segue exige novo pedido de ajuda, sobretudo devido à situação de habitação do Nuno. Em Lisboa, como é do conhecimento público, os preços das habitações são exorbitantes. Num vão de escada chegam a cobrar 300 euros mensais, o que é manifestamente insuportável para quem conta todos os euros para a sobrevivência familiar. Os estudantes das ilhas ou do Norte do país ou têm sorte de encontrar apoio em algum lado ou então têm de desistir. Daí o apelo de Nélia Alves para que o Nuno encontre feedback junto de alguém caridoso, disposto a ajudá-lo nesta etapa.

A família Alves reitera a sua “gratidão” aos leitores do FN e a todos quantos direta ou indiretamente possam colaborar nesta obra de concretizar o sonho dos quatro jovens na conclusão dos estudos superiores.

 

O Nuno, com a mãe no verão passado. O alojamento no próximo ano letivo preocupa.