Roberto Rodrigues é o candidato do Partido da Terra à Câmara do Porto Moniz

O MPT-Madeira apresentou hoje o seu candidato, Roberto Rodrigues, à Câmara Municipal do Porto Moniz.

O candidato tem 53 anos de idade e exerce a profissão de Fiscal de Exploração de Transportes Públicos.

Para o MPT, este Concelho está votado ao abandono e à desertificação populacional com o atual executivo a limitar-se a dar apoio à escola e passeio a idosos.

Este Concelho precisa de uma forte aposta na agricultura e no turismo, quer de praia, quer de montanha. A Feira Agropecuária do Porto Moniz, apesar de ter feito alguns melhoramentos nas condições do recinto, está muito aquém do que poderia ser o maior Cartaz da Agricultura Madeirense, deixando apenas uma visão de condições de 3º Mundo.

“Sabemos que esta área tem condições para apresentar uma das melhores feiras sobre a agricultura do país e no entanto, durante mais de 55 anos nunca se estabeleceu uma parceria entre o Governo Regional e a Câmara Municipal do Porto Moniz para dar condições a esta estrutura, no sentido de valorizar os agricultores locais, encaminhando-os para o progresso. A Câmara Municipal do Porto Moniz também tem lavado as mãos durante décadas, lavando a mão de responsabilidades, exatamente como “Pôncio Pilatos””, revela.

Sendo este o palco preferencial e primordial para mostrar todo o potencial agrícola da Região Autónoma da Madeira, não basta fazer algumas obras de manutenção um mês antes deste evento, ficando o espaço, o restante ano virado ao completo abandono.

O MPT-Madeira também quer direcionar críticas direcionadas ao Elenco atual nada dizerem e fazerem e até serem coniventes com este modelo politico que apenas faz de conta, enganado a sua população. Limitam-se a ir ao recinto da feira apenas para fazer de conta que se preocupam, aproveitando apenas para comer uma boa espetada.

Esta área da Feira Agropecuária do Porto Moniz tem um enorme potencial, mas para isso seria necessário reformular e dar condições necessárias para que este espaço se tornasse apelativo para a população da Região e também para os estrangeiros que nos visitam.

Não se admite que um espaço como este ainda não tenha umas casas de banho implantadas de raiz, que não tenha um espaço de restauração adequado a um evento destes, stands comerciais com condições para poderem mostrar tudo aquilo que há de mais moderno para apoiar a agricultura e o agricultor no sentido de estes tirarem mais rendimento da terra, especialmente uma produção de qualidade.

Para MPT-Madeira os espaços para expor e comercializar animais são uma verdadeira aberração, não cumprindo com os regulamentos sanitários. Mais grave, é saber que os Serviços Regionais de Veterinária estão neste evento e nada fazem, fechando literalmente os olhos a esta realidade.

O MPT diz que sempre valorizou a terra e o mar como uma fonte de rendimento que está muito mal aproveitados.

“Achamos que o atual Presidente da Câmara do Porto Moniz nada tem contribuído para fomentar o turismo e aumentar a qualidade da agricultura no Concelho, ficando muito aquém do que era possível fazer. Para o MPT-Madeira este Concelho está a morrer e caminha a passos largos para a desertificação populacional. Os jovens não se conseguem fixar e “fogem” para outros lados”, revela.

Para o MPT, não tarda nada e este Concelho será apenas uma reserva ecológica da Ilha da Madeira.

São todos estes motivos que o MPT-Madeira apresenta que levam a perceber que o atual Presidente tem dado sinais de fragilidade política, demonstrado um nervosismo grande por saber que a sua governação foi muito deficiente, estando o seu lugar em risco.