Catamarãs proporcionaram dia intenso de regatas com bom vento a favorecer espectáculo

Fotos: Rui Marote

Hoje foi um grande dia para a Extreme Sailing Series e os espectadores que acompanham, ávidos, esta competição marítima na baía do Funchal; o vento soprou a eito e os catamarãs participantes na etapa madeirense da competição mundial mostraram do que são capazes, alcançando boas velocidades e erguendo-se majestosamente sobre os “foils”, aproveitando com elegância a força eólica.

A “Race Village” encontrava-se cheia de gente, num dia solarengo que muito favoreceu a beleza das evoluções dos rápidos catamarãs GC32 e dos mais pequenos Flying Phantom na baía funchalense. O lado competitivo do evento foi acompanhado com bastante ansiedade por múltiplos espectadores, vários dos quais estrangeiros, muitos dos quais madeirenses que aderiram a esta iniciativa desportiva e que davam conta, telefonicamente, a outros do bom ambiente que ali se vivia, com os cafés cheios e as pessoas interessadas no espectáculo que os barcos de alta competição proporcionaram.

A classificação dos Flying Phantom, segundos dados disponíveis na página de facebook da Extreme, davam conta da Red Bull à frente, seguida pela ZEPHIR by Idrewa, Culture Foil em terceiro, Cup Legend em quarto, UON em quinto, Lupe Tortilla em sexto, Oman Sail em sétimo, Solidaires en Peloton em oitavo, Masterlan em nono, EVO Visian ICL em décimo, e depois Back to Basics e Red Bull II.

Já quanto aos GC32, o blog oficial da prova dava como colocado em primeiro lugar o SAP Extreme Sailing Team, em segundo o Oman Air, em terceiro o Alinghi, em quarto o NZ Extreme Sailing Team, em quinto o Red Bull, em sexto o Land Rover BAR Academy e em sétimo o Team Extreme.

Confira nesta reportagem as imagens captadas hoje na frente mar do Funchal pelo repórter fotográfico do FN.