Exército venezuelano procura ocupantes de helicóptero que alegadamente alvejou o Supremo Tribunal e o ministério do Interior

Oscar Perez no Instagram

A Venezuela continua na ordem do dia pelos piores motivos. Desta feita, a BBC, órgãos de comunicação e agências internacionais de notícias estão a dar conta de que os militares venezuelanos estão a desencadear uma extensa busca pelo piloto de um helicóptero que atacou o Supremo Tribunal do país na terça-feira ao final da tarde. O presidente Nicolás Maduro classificou esta atitude como um atentado terrorista. Aparentemente, o acto foi perpetrado por um polícia renegado, identificado como Oscar Pérez, que pilotou a aeronave da Polícia venezuelana que exibia um letreiro que dizia 350 Liberdade – referência a uma cláusula da Constituição citada por oponentes de Maduro para classificar o governo como ilegítimo. O helicóptero, do qual o polícia alegadadamente se apropriou indevidamente, terá transportado também outro ocupante, e aberto fogo disparando 15 tiros, primeiro contra as instalações do Ministério do Interior, depois contra o Supremo Tribunal, sendo que este último supostamente foi alvejado com granadas de “origem colombiana”, segundo o governo venezuelano. No entanto, ninguém ficou aparentemente ferido.

Oscar Pérez parece ser uma estranha e pitoresca personagem, que inclusive apareceu na rede social Instagram rodeado de homens armados, dizendo representar um grupo de militares, polícias e civis que se opõem “a este governo criminoso”.

O presidente Maduro disse ter activado todos os meios militares para “defender a paz”. O helicóptero, segundo a Reuters, foi depois abandonado em Higuerote, na costa caribenha.