“Em política, é erro de palmatória tomar os outros por tontos”

O ex-presidente do Governo Regional voltou a comentar a atualidade política, desta vez por causa de notícias sobre baixa de preços, concessões e encargos para o erário público.

Eis o comentário intitulado “A relação custo-benefício para a colectividade”:

“Em política, é erro de palmatória tomar os outros por tontos.
Porque só quem for um tonto é que não vê que, tal como previamente alertado, o monopólio de opinião escrita convencional, na Madeira, está montado, ainda que através de interpostas pessoas.
Por ser assim, há o Dever de cidadania de não pactuar.
A tentativa infantil e estrategicamente saloia de denegrir os Governos Regionais que foram sociais-democratas e autonomistas, passa também por uns comentários a propósito do “baixar de preços” aqui e acolá, propaganda manipuladora em vez de mais investimento público que gere progresso e emprego.
Os poucos que pertencem à “plebe democrática” não entendem que, numa concessão, a baixa dos preços de utilização nunca se traduz nem num milagre político, nem em caridade do concessionário. Tem sempre um preço para o erário público, que a transparência manda saber qual.
Até para se avaliar se o benefício de alguns, porventura significa mais encargos de todos e maior renúncia ao referido investimento público que traz emprego e desenvolvimento.
Este caminho do “bacalhau a pataco” evitei-o, aguentando as críticas, nessa altura de não monopólio de opinião e propaganda. Cedências de sentido contrário não teriam permitido mudar o arquipélago. Não explorei a indigência mental dos que vendiam o voto em troca de um saco de arroz ou de um pacote de leite.
Como cidadão livre e não enfeudado a quem ou ao quê que seja, tal como prometi não me calarei perante asneiras dos que vivam ainda com a obsessão dos meus Governos e respectivo trabalho.
Agora só falta comprar e manter aviões!… Chiça!…”