Miguel Albuquerque distingue alunos na Jaime Moniz e revela aposta na educação de 348 milhões

FOTOS CARLOS FREIRA.

Há alunos que se destacam com ideias inovadoras quando são chamados a participar no teatro, na ginástica, na dança  ou na natação e em tantos outros domínios numa abertura ao mudo que os rodeia e que salta das páginas dos livros. Também há outros que terminam a frequência do 10.º ao 12.º anos e figuram no quadro de excelência de uma escola porque as notas provam o empenho e o mérito. A todos aqueles que se destacaram, o presidente do conselho executivo da Escola Secundária Jaime Moniz, o presidente do Governo Regional e o Secretário Regional da Educação prestaram homenagem, lembrando-lhes que o desafio é ousar inovar e serem cidadãos do mundo.

Numa sala repleta por mais de 300 alunos, pais, professores e funcionários, o presidente do Governo Regional deixou bem claro que o seu executivo aposta na educação. Não se trata de retórica política, avisou. Miguel Albuquerque puxou das estatísticas para dizer que a Região tem um investimento neste setor da ordem dos 348 milhões de euros. Os resultados têm demonstrado que é “a melhor das apostas” porque é “o melhor instrumento para enfrentar os tempos de acelerada mutação tecnológica que estão à vista de todos”.

Formação começa na escola

Numa fase em que os estudantes enfrentam os exames nacionais de acesso à universidade, muitos deles a terminarem já o secundário, Miguel Albquerque salientou o que mostram também os relatórios num alerta às opções nos próximos tempos. “Em 2016, o Relatório do Fórum Económico Mundial The Future of the Jobs” demonstra que 65% das crianças que entram na escola não terão as profissões que hoje existem; terão sim pela frente novas profissões que nem imaginam”.

Segundo o presidente do GR, os estudantes devem, por isso, encarar as mudanças, muito dominadas pelas novas tecnologias,  com mente aberta, e valores bem sólidos, em particular uma sólida formação humanística, dando ainda a tónica de que, “a nossa formação não acaba mas começa a partir da escola”. As famílias, salientou, têm demonstrado estar à altura dos educandos, num acompanhamento permanente que os tem levado ao mérito escolar.

Também o presidente do conselho executivo da ESJM congratulou todos os agentes que estão na base da distinção das mais de três centenas de alunos, enquadrando a iniciativa numa homenagem simbólica aos estudantes: “Pela primeira vez realizamos este encontro com o principal objetivo de premiar o mérito dos alunos que nas atividades de enriquecimento curricular e nas atividades letivas tudo fazem para atingir patamares de excelência, tudo fazem para subir mais alto, tudo fazem para ultrapassar a mediania e alcançarem o pódio. Na vida não nos podemos contentar com o mínimo, não nos podemos conformar, temos que ter objetivos, temos que ter metas, temos que ser melhores. Temos que ter um espírito vencedor, temos que estar preparados para ultrapassar as adversidades, para vencer os desafios que o futuro nos interpela”.

Qualidade e não massificação

Jorge Moreira de Sousa deixou claro que respeita a diferença. “Recuso receitas unilaterais, impessoais, igualitárias para todos os jovens e defendo uma diferenciação de processo de ensino-aprendizagem, de currículos, de cursos, de estratégias que possam conduzir a um melhor ajustamento e uma melhor adequação aos diferentes perfis dos alunos que frequentam o universo escolar. É a qualidade que nos diferencia para melhor e não a massificação que apenas privilegia o número indiferenciado daqueles que gravitam num universo sem afeto, sem calor humano e sem alma. Queremos uma escola com alma, que conheça todos os seus alunos, na sua identidade, no seu modo de ser e estar, uma escola humana, exigente e que prepare para a vida”.

Jorge Moreira de Sousa fechou a sua intervenção com um apelo que está inscrito na Disney World, no Canadá: “Se sou capaz de imaginar, sou capaz de realizar”.

A cerimónia encerrou com a entrega de certificados a todos os alunos que se fizeram acompanhar dos seus professores e encarregados de educação. Foram distinguidos os alunos que mostraram brios no Festival Audiovisual de Cinema Escolar, no Concurso Grande Ideia, do Suplemento Ponto e Vírgula-SRE, nas Competições Nacionais de Ciência, Matemática e Física, nas mais diversas modalidades desportivas e Desporto Escolar, nas Olimpíadas da Física, na Ginástica Acrobática, nos Programas/Encontros e Intercâmbios, no Projeto RS4E-Road Show for Entrepreneurship-Startup Madeira, no Concurso de Ideias de Negócio, no Teatro (Grupo de Teatro O Moniz) e, por fim, no quadro de excelência, isto é, os melhores alunos na frequência do 10.º, 11.º e 12.º anos de escolaridade.