Estudo decide pela viabilidade da utilização dos meios aéreos contra incêndios na Madeira

O Governo Regional da Madeira anunciou, em comunicado emitido esta tarde, que tem em funcionamento desde o dia 15 de Junho, e até 15 de Outubro, o Plano Operacional de Combate a Incêndios Florestais (POCIF).

“O patrulhamento e vigilância das nossas serras”, explica, “envolve todas as corporações de bombeiros da Região, Polícia Florestal e GNR. No total, são 180 pessoas, distribuídas por 12 equipas, que de forma permanente (24h/dia) terão como missão patrulhar, detectar e extinguir focos de incêndio”.

A nota de imprensa garante que, além disso, no âmbito da prevenção, foram já limpos cerca de 10 hectares de terreno nas serras da Madeira, e os recursos dos bombeiros foram reforçados, decorrendo ainda um concurso internacional para aquisição de 18 viaturas.

A 10 de Agosto de 2016, o Conselho do Governo Regional da Madeira aprovou uma resolução (nº 510/2016) a solicitar ao Governo da República a elaboração de um estudo de viabilidade sobre o uso de meios aéreos na Madeira, no prazo de 120 dias.

Na sequência do mesmo, o relatório do Ministério da Administração Interna, recebido hoje, 20 de Junho de 2017, indica que o uso de meios aéreos em áreas florestais e em áreas urbanas na Madeira é possível, tendo em conta as especificidades do território.

O Governo Regional da Madeira avança que criará de imediato uma estrutura de missão que, em 60 dias, irá presentar uma proposta de implementação destes meios de combate a incêndios, no qual custos, recursos e acções a desencadear estarão claramente identificadas.

“Essa proposta deverá igualmente conter um cronograma de acções a desencadear, a fim de estarem reunidas as condições tidas por necessárias e que constam das recomendações / conclusões do referido relatório. Com os elementos que forem propostos pela estrutura de missão, o Conselho do Governo deliberará sobre esta matéria”, refere o comunicado.