Secretaria da Saúde reafirma que substituição de medicamentos em quimioterapia “não tem qualquer inconveniente clínico”

A Secretaria Regional da Saúde reagiu hoje a uma notícia publicada na imprensa regional, com o título “Quimioterapia interrompida por falta de medicamentos”, apresentando um esclarecimento no qual o SESARAM informa que “são feitos todos os esforços para garantir o acompanhamento e a continuidade terapêutica dos seus doentes oncológicos, ao longo de todas as fases da sua doença”.

Salienta, aliás, “que na falta de algum fármaco são sempre consideradas outras alternativas para salvaguardar a continuidade dos cuidados”.

“Importa referir que todas as situações prioritárias têm sido asseguradas e que o SESARAM, se empenha fortemente em conservar ao máximo o bem-estar e a qualidade de vida dos seus utentes”, garante a SRS, reafirmando “que contrariamente ao noticiado, a substituição do fármaco em causa não tem qualquer inconveniente clínico ou outro para os doentes”.