PSD reage ao JPP sobre a construção de um mercado agrícola na Camacha

O PSD/Camacha veio, através de comunicado, reagir ao anúncio do executivo camarário do JPP sobre a construção de um mercado agrícola na Praça Principal da freguesia. Dizem os social-democratas que este anúncio feito pelo executivo de Santa Cruz “é lamentável, não só por estar enquadrado numa maquilhada operação de campanha política, em véspera de eleições, mas também por constituir um verdadeiro atentado à imagem do centro da Achada e uma distorção paisagística gravosa deste centro”.
O executivo JPP, na perspectiva do PSD, vem confirmar com esta proposta que esteve totalmente desligado da Camacha nestes últimos três anos e meio, “quiçá por estar demasiado ocupado a carpir mágoas e a se lamentar da vida, em vez de “deitar mãos à obra” e de olhar pela população desta freguesia”, acusam.
Os social-democratas afirmam não entenderr como é possível projectar uma estrutura em cima de uma praça histórica que afectará, no sentido redutor, toda a “mística” deste local. Tal ambição, criticam, apenas “acusa uma visão limitada de quem idealizou esta ‘barraca’ e o local de implantação, pois quebra totalmente o elo histórico de um dos edifícios mais emblemáticos com a Praça da Freguesia, mais concretamente o ‘David do Guilherme’ (será que sabem onde fica?), ameaçando excluí-lo do centro da Achada e privando os ocupantes da praça de desfrutar da agradável vista que o edifício nos oferece. O mesmo acontece à visão do cenário agreste e natural de toda a encosta dos Casais D’Além”.
Não menos grave, aponta o PSD, é aquilo a que consideram uma falta de auscultação da população e demais entidades, sabendo-se que já existem ideias e possíveis soluções para a construção de um mercado agrícola na Freguesia.

“Não poderão ser uns senhores de Gaula, que agora se lembraram de fazer manobras de campanha na Camacha, que vão mandar e desmandar a seu belo prazer os destinos da nossa freguesia sem consultar quem quer que seja. Respeito, alguma lucidez e bom senso, é o que se pede.
O PSD/Camacha olha para a sua freguesia em toda a sua amplitude e olhando ao seu crescimento nos últimos anos. Hoje, o centro deixou de ser o Largo da Achada. É mais abrangente. É, por isso, possível considerar outros espaços, perfeitamente enquadrados com os requisitos, para implantação de um mercado agrícola, digno dos agricultores da Camacha e de todos os seus visitantes”, refere o comunicado.
“Ainda que nos agrade que o Município de Santa Cruz finalmente se tenha lembrado que existem mais freguesias para além de Gaula e de fazer investimento na Camacha, lamentavelmente sentimos que esta “montra de verduras e legumes” não será o mercado que os agricultores de toda a Freguesia precisam e representa uma falta de consideração pelos mesmos. Melhor seria a solução que outrora a Junta de Freguesia bem implementou”, conclui o PSD.