Cacifos para os sem-abrigo já estão no Funchal; conferência no dia 19 debate temática da exclusão social

A conferência ‘Estar sem abrigo’, uma organização da CMF e da Associação Conversa Amiga, foi hoje apresentada nos Paços do Concelho do Funchal. A iniciativa decorre no dia 19 e pretende reflectir sobre a problemática das pessoas que não têm morada fixa e que vivem nas ruas da cidade. Na oportunidade, interveio Duarte Paiva, presidente da ACA, também fundador do projecto “Cacifos Solidários”, ao qual a edilidade funchalense aderiu, e que contempla a criação, nas urbes, de cacifos para os sem-abrigo guardarem os seus bens, por mais escassos que sejam.

“Este projecto nasceu há cerca de quatro anos atrás em Lisboa, com uma experiência”, referiu. Neste momento, existem 48 cacifos em Lisboa, sendo possível que esse número passe este ano para mais de 70. Duarte Paiva salientou que este projecto, do qual já existem propostas para o estrangeiro, é único no mundo e tem suscitado, por isso, interesse. “Esta é uma realidade de todo o mundo e de todas as cidades”, referiu, realçando que, no que toca a sem-abrigo, Portugal nem é dos países que têm mais pessoas nessa situação específica de exclusão social.

O orador referiu que nesta fase já se está em situação de poder implementar o projecto no Funchal, com uma equipa de rua que fará o acompanhamento da situação dos sem-abrigo.

Por seu turno, a vereadora Madalena Nunes, da CMF, frisou que a sexta-feira será então um dia dedicado a debater a situação dos sem-abrigo, na lógica de que “é um tema a que está associada a exclusão humana”, e que a edilidade quer combater. Para Madalena Nunes, “este é um problema a que ninguém pode ficar indiferente”, e que exige “soluções de banda larga”.

Na conferência, além de Madalena Nunes, participará o edil Paulo Cafôfo, o presidente da ACA, Duarte Paiva, António Bento, do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, João Marrana e Joana Teixeira, intervenientes em projectos de combate às situações de exclusão social, e ainda Filipa Cardoso, da Casa de Saúde São João de Deus.

Segundo foi dito na conferência de imprensa, os cacifos já se encontram na Madeira e poderão ser vistos na sexta-feira.