Primeira médica do país a obter Diploma Europeu de Dor pela EFIC é da Madeira

A primeira médica do país a receber o diploma em Medicina da Dor, atribuído pela European Pain Federation (EFIC) é a médica do Serviço de Saúde da RAM, Isabel Brazão e desempenha funções no Centro Multidisciplinar Medicina da Dor – Dr. Rui Silva, informa o Governo através de uma nota à imprensa.
A atribuição deste diploma decorreu após ter concluído com distinção um exame teórico prático intensivo em dois dias em Madrid. Nos dias 31 de março e 01 de abril, o comité europeu da Medicina da Dor reuniu cerca de 20 médicos candidatos a obtenção do diploma europeu em Medicina da Dor, de vários países da Europa, sendo que a médica anestesiologista,  Isabel Brazão foi a única portuguesa a participar.

Esta distinção foi reconhecida e sublinhada pelo Secretário Regional da Saúde, Pedro Ramos, e por todos os elementos dos órgãos de direção do SESARAM, numa cerimónia interna no dia 10 de maio, na qual também participou a presidente do Conselho de Administração, Maria Tomásia Alves, o diretor de Serviço de Anestesiologia, Eugénio Mendonça, e o coordenador do Centro Multidisciplinar da Medicina da Dor, Duarte Correia.

Nesta cerimónia, a diretora clínica, Regina Rodrigues, referiu que “a qualificação dos nossos profissionais será sempre acarinhada e incentivada na nossa instituição”. Esta distinção por parte da EFIC aumenta a responsabilidade dos serviços, nomeadamente do Centro Multidisciplinar da Medicina da Dor, uma vez que passa a ser considerado como um dos principais centros de referência de tratamento da Dor ao nível da Europa.

Por sua vez, o Secretário Regional da Saúde, Pedro Ramos, sublinhou que este “foi mais um passo alcançado ao nível da diferenciação dos profissionais, com ganhos diretos para os doentes. A formação contínua faz parte da nossa instituição, e a nossa missão será sempre promover a motivação, humanização e condições de trabalho”.

O Centro Multidisciplinar Medicina da Dor, é um serviço diferenciado que conta com uma equipa de profissionais de diferentes áreas, sendo que cinco são médicos com formação diferenciada na área da Dor.