Chuva “arrefece” um pouco o espírito revolucionário… mas nem tanto!

Fotos: LR

São várias as iniciativas que assinalam hoje a data histórica do 25 de Abril, relembrando o dia em que, no já distante ano de 1974, os portugueses puderam novamente tomar o gosto à liberdade de expressão e almejar a defesa dos seus direitos individuais e colectivos.

O PCP fechou a Rua João de Deus para uma animada festa e churrasco muito participado por militantes e simpatizantes, mas São Pedro não ajudou muito e aquilo que começou por ser um chuvisco sem grandes consequências tomou proporções maiores e principiou a incomodar os convivas, que saborearam um bom repasto a par de uma curta intervenção política por parte dos responsáveis partidários.

A pluviosidade arrefeceu um pouco os ânimos, mas as músicas revolucionárias continuam a ser debitadas pelos altifalantes e os militantes comunistas “não desarmam”. Afinal, a luta continua, não é verdade? E há quem se socorra de todos os expedientes à mão para enfrentar o tempo adverso, desde a colocação de casacos sobre a cabeça até à utilização mais convencional de guarda-chuvas ou menos convencional das próprias cadeiras de plástico nas quais se encontravam sentados.

Mesmo molhadas, as bandeiras do PCP ainda volteiam e o povo vai fazendo a sua festa na rua, com um copito à mistura mas um comportamento civilizado.