PPM concorda com “lamentações dos porto-santenses”

O PPM Madeira mostrou-se, em comunicado, preocupado com “muitas das lamentações dos porto-santenses”. O dirigente João Noronha referiu que o que foi defendido pelo movimento “Mais Porto Santo” tem toda a razão de ser.

“A saúde é quase inexistente e com as dificuldades que sentem com os transportes, ainda dificulta mais o que a constituição defende como de prioridade e de direito para todos. Em relação a questões políticas, o PPM sempre defendeu mais círculos eleitorais e o de Porto Santo é aquele que mais faz sentido. A sua representatividade seria um ganho democrático para esta ilha que vive de muitas insularidades. Durante as eleições e a sua campanha eleitoral é que passam a ser importantes, para logo depois passarem a ser esquecidos como se não fizessem parte da RAM e de todo o Portugal”, acusa o partido.

Esta força política considera absolutamente necessário o desenvolvimento económico da ilha. “Os transportes sejam aéreos ou marítimos continuam a condicionar a vida não só dos que lá vivem, mas também daqueles que pretendem visitar ou intentar um novo negócio. Muito se tem escrito que o Governo Regional tudo faz para não deixar Porto Santo ao abandono, mas a realidade é totalmente contrária à publicidade populista que tem sido efectuada”, salientou.