Escola de São Jorge participa em Chipre em Encontro Erasmus+

Fotos DR.

A Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de São Jorge-Cardeal D. Teodósiode Gouveia está a participar na cidade de Pafos, em Chipre, num encontro transnacional do projeto Erasmus +, Ação Chave 2, entre 27 e 31 de março de 2017, naquela que é  uma das duas cidades capitais europeias da cultura de 2017.

O encontro internacional conta com a presença de oito escolas europeias envolvidas neste projeto, de países como a Alemanha, Áustria, Itália,  Chipre, Turquia (duas escolas), Espanha e Portugal, representado por esta escola da Madeira.

Este encontro de trabalho dos professores responsáveis pelo projeto em cada um destes países europeus serve para delinear o próximo quadro de atividades e definir estratégias de trabalho comum para os próximos meses no que diz respeito a todos os parceiros envolvidos no projeto “Winds of Change: A Europeam Energetic (R) Evolution”.

No encontro foi definido um conjunto de atividades que deverão ser realizadas aquando dos intercâmbios de alunos que estão envolvidos no projeto assim como os instrumentos de avaliação dos mesmos e as formas de disseminação dos resultados desses intercâmbios.

Um dos pontos da agenda foi a análise das atividades e dos resultados da experiência de intercâmbio que decorreu na Madeira envolvendo os alunos da cidade austríaca de Feldkirch.

Relembre-se que onze alunos e três professores da Escola de São Jorge estarão de visita à cidade de FeldKirch, na próxima semana, de 2 a 8 de abril.

Os professores participantes no projeto também irão também tomar parte num roteiro cultural pela Cidade de Pafos, que este ano juntamente com a cidade de Aahrus, na Dinamarca é capital europeia da cultural.

O principal objetivo deste projeto é estabelecer uma rede europeia de trabalho e conhecimento sobre o ponto de situação, no que diz respeito à utilização das energias renováveis nos diferentes países do projeto.

Os alunos envolvidos neste projeto têm a oportunidade única de visitar durante uma semana, uma das escolas envolvidas. Permite também aos alunos outras aprendizagens, nomeadamente, o conhecimento de outras culturas, bem como a possibilidade de interagir com os outros alunos num contexto real, motivando-os assim para a importância do domínio e aperfeiçoamento da língua inglesa.