Estepilha: o diabo está na Sé

Rui Marote

Estão a decorrer este ano as comemorações do Ano Jubilar, para assinalar os 500 anos da Sé do Funchal. O aniversário solene desta “dedicação” remonta a 18 de Outubro de 1517, pelo então bispo D. Duarte, delegado do bispo titular, D. Diogo Pinheiro.

O Funchal Noticias dá a conhecer aos leitores, enquanto curiosidade, a existência de uma representação de Satanás no interior do templo, figura essa que passa despercebida à maioria dos madeirenses que diariamente assistem ao culto religioso.

Esta figura representativa encontra-se na base do púlpito, junto ao chão de madeira, incrustada na pedra de mármore da Arrábida utilizada na construção, enviada pelo rei D. Manuel I.
Mais acima está a esfinge do arquitecto Pedro Anes, responsável por esta obra monumental.
Hoje o púlpito deixou de ser usado nos actos religiosos. Os pregadores escasseiam: prestamos homenagem a grandes oradores como os cónegos Fulgêncio, Pombo, Camacho e Jardim, que de cima deste palanque teceram ilustres sermões. Numa altura em que não existiam aparelhagens sonoras, passavam mais de uma hora pregando alto e bom som quando os templos se enchiam de fiéis.
A figura do diabo estava debaixo dos pés do pregador, e simbolizava as tentações a Jesus.