Crónica Urbana: Deslocação de corveta para a Madeira por causa de aviso de tempestade… para a mesma ficar no sul e não no norte da ilha

 

corveta jacinto cândido

Rui Marote

Não sou estratega de defesa nem de meios de salvamento. Não frequentei nenhum curso de defesa nacional, que nos últimos anos tem sido lugar para habitués de uma determinada elite que nunca cumpriu serviço militar.

Orgulho-me, porém de dizer que percebo de guerra de guerrilha, pois frequentei cursos de vários meses sobre o assunto em território de Moçambique, ainda em tempo de guerra colonial. E sou possuidor de alguns conhecimentos de defesa civil do território, curso que frequentei durante seis meses e no qual obtive a nota final de 17,5 valores, numa escala de 0 a 20. Feita esta apresentação, modéstia à parte, recordo simplesmente que a Madeira, na última semana, foi alertada com um aviso de mau tempo na costa norte e no Porto Santo, com ondas que poderiam atingir os 8 metros.

corveta jacinto cândido
Temendo algum acontecimento dramático, a Marinha fez deslocar para a Madeira uma corveta. Segundo o comandante naval, vice-almirante Gouveia e Melo, que deu uma conferência de imprensa para fazer o ponto da situação, as condições adversas no mar eram comparáveis à tempestade “Hércules”, que, em 2014, provocou ondas de grande dimensão que atingiram primeiro os Açores e, posteriormente, Portugal continental.

Gouveia e Melo explicou que o pior da tempestade ia passar nos Açores na quarta-feira com a previsão de vagas de 12 metros e atingir entre quinta e sexta-feira o continente com vagas de oito metros, e a Madeira, com vagas de seis metros.

corveta jacinto cândido

Mais vale prevenir que remediar. E a corveta Jacinto Cândido continua de prevenção no cais sul da Pontinha. Acontece porém que o palco dos acontecimentos, se os houvesse, seria muito provavelmente na costa norte da Madeira e no Porto Santo.

Felizmente, até aos dias de hoje, somos uma terra abençoada por Deus, e os temporais passam-nos sempre ao lado. Para quem esteve atento a estes avisos, dá a ideia que há quem confunda norte com sul. Estive na Avenida e o oceano era um autêntico “mar de azeite”, que até foi palco de actividades náuticas. Voltamos à carga: se o cenário de mau tempo se iria desenrolar na costa norte, porque motivo a corveta repousava no cais sul, calma e serena, à espera de entrar em acção?

corveta jacinto cândido
O navio patrulha Tejo e, ao fundo, a corveta Jacinto Cândido. Ambos no porto do Funchal

Aqui fica a nossa crítica: quanto tempo este meio de socorro levaria para chegar ao Porto Moniz em caso de uma necessária busca e salvamento?  Por que não utilizar o cais do Porto Moniz para atracagem? Não oferece condições? Lembro-me que, numa visita do então presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, ao Porto Moniz para a apresentação do projecto de aumento do cais de abrigo do Porto Moniz, entre outras obras que incluíam túneis e estradas, o secretário da tutela, Santos Costa, e o presidente da Administração de Portos, João Reus, munidos de um cavelete e de projectos, elucidavam o presidente sobre as obras que ali se iriam desenvolver. AJJ tinha o costume de perguntar logo quanto ia custar a obra. Já não me recordo com preço exacto, mas eram milhões, o que assustou o então presidente do Governo, que de imediato explodiu, no seu estilo peculiar e delicado: “Tudo isso por esse cagalhãozinho?” Os presentes não contiveram uma gargalhada, enquanto Santos Costa explicava calmamente que o preço se justificava com a profundidade do mar naquela zona, o número de caixões subaquáticos que eram necessários, que uma obra marítima tem os seus custos, etc.

Enfim, toda esta história para recordar que o chefe do Executivo madeirense parecia adivinhar que todo esse investimento seria desnecessário.

Hoje está à vista par que temos um cais de abrigo na costa norte. É para que, em caso de mau tempo naquela costa, a corveta passe “férias” no cais sul da Pontinha.

E não esqueçamos que ao lado do porto de abrigo foi também construído, com milhões, um heliporto que hoje não serve para nada. Enfim, a costa norte está bem servida em termos de segurança.