Reunião da CMF lança concurso público para hardware da Loja do Munícipe

salao-nobre-cmf

Na reunião de Câmara da autarquia funchalense de hoje, uma das deliberações mais importantes foi a abertura do concurso público para aquisição de servidores, ou seja, todo o hardware e infraestrutura de rede, que será, digamos, o coração da Loja do Munícipe, e onde serão instaladas todas as aplicações de gestão urbanística, financeira, documental. O concurso público foi aberto hoje pelo valor base de 320 mil euros, informou o vereador Miguel Silva. No concurso de ideias para o logótipo e fardamento da Loja do Munícipe, que fechou no passado dia 30 de Setembro, houve doze propostas, vindas inclusive do continente, de Coimbra e de Gaia, mais precisamente. Neste momento o júri está a apreciar, para deliberar qual será a proposta vencedora, e que será a imagem institucional da dita Loja. Até ao final do mês, a CMF dirá quem venceu.

Nesta reunião foi feita a análise semestral da situação económica da autarquia: neste momento a CMF tem uma dívida de 63 milhões de euros, o que, salientou Miguel Silva, representa uma redução em relação aos valores anteriores, retirando aqueles montantes que estão a ser discutido em tribunal com a ARM, nomeadamente o aumento da água, de 14%, e a tarifa física. “63 milhões é de facto uma redução substancial, que já não existia aqui na Câmara há mais de dez anos”, salientou o vereador, que disse que em Outubro de 2013 a Câmara tinha uma dívida de 101 milhões de euros.

Miguel Silva adiantou que seria importante a aprovação de fundos comunitários: a autarquia tem neste momento 17 milhões de euros de projectos candidatados aos diferentes programas, a aguardar aprovação. Seria importante ver as candidaturas aprovadas para ter mais obra no terreno, e uma execução orçamental superior. Um dos projectos candidatados, importante para o desenvolvimento do concelho, é uma base cartográfica do Funchal, uma vez que a última já tem alguns anos, e é preciso fazer uma nova. Seria importante para definição do PDM.