MPT diz que subsídio de mobilidade na Madeira é “uma catástrofe”

mptO Movimento Partido da Terra (MPT-Madeira) emitiu hoje um comunicado “no sentido de defender os habitantes naturais deste arquipélago, que são obrigados a financiar a TAP e outras companhias que operam nesta rota”.

Segundo o MPT “tanto o regime aplicado no Açores como aquele que está em vigor na Ilha da Madeira, são autênticos modelos de aberração. O PSD aqui na Madeira fez um péssimo acordo e o PS Nacional atualmente a Governar o País com a ajuda do BE e do PCP-PEV estão todos os dias a transmitir um silêncio ensurdecedor. Estão lá quase há um ano e nada fizeram e no entanto criticavam o Governo anterior. Quando se chega lá, faz-se exatamente a mesma coisa e nada se resolve”, revela o comunicado assinado pelo coordenador regional do MPT, Roberto Vieira.

Para o MPT, as companhias aumentam sistematicamente os preços, no sentido de receberem ao máximo do Governo dinheiros que são públicos. “Não faz sentido que uma companhia como a TAP com 50% de capitais públicos, possa ela própria “subtrair” dividendos públicos provenientes dos nossos impostos. Isto é apenas uma forma de dar com uma mão e tirar com a outra”, revela.

Sabendo-se que a TAP é 50% pública e tendo o Governo voto de qualidade nas decisões, seria necessário de uma vez por todas definir o valor que cada Madeirense deve pagar para poder viajar para Lisboa ou Porto.

O MPT-Madeira vai até mais longe no sentido de regulamentar a passagens áreas para viajar dentro de Portugal, abrangendo todos os Portugueses, propondo que as tarifa na TAP (Companhia de Bandeira Nacional) para qualquer Cidadão Português que pretendam viajar dentro do território Nacional (inclui os dois arquipélagos – Açores e Madeira), devem ser tabeladas e ter preços fixos, conforme os vários destinos possíveis.

“Esta medida poderia ser a alavanca que falta para termos um turismo interno maior e mais forte, especialmente nas épocas mais baixas. Não faz sentido os cidadãos da Madeira e dos Açores pagarem elevados preços pelas tarifas para depois de viajarem receberem parte do montante. Lembramos que muitas vezes para conseguir preços mais em conta o Cidadão tem de adquirir o seu bilhete com meses de antecedência ficando privado desse dinheiro até que efetue a viagem”, revela o partido.

Para o MPT-Madeira qualquer cidadão que pretendesse viajar deveria chegar aos balcões da TAP e às agências e pagar o valor que tivesse tabelado, deixando de haver devoluções, nem confusões.

“O atual Governo do PS e seus parceiros BE e do PCP-PEV iam resolver tudo isto, mas está visto, é tudo farinha do mesmo saco. Em democracia não vale tudo e a maioria dos partidos esquece-se que o povo tem memória, memória essa que tem levado o eleitorado a se desinteressar pelos desígnios do País, onde tudo se promete mas nada se cumpre. Não temos culpa de sermos assim e defender aquilo a que chamamos que deve ser um Portugal sustentável, onde existem outras áreas subaproveitadas e outras ainda completamente abandonadas”, remata.