Caso hemodiálise (3): Porque ficaram os acessos vasculares de fora?

hemodialise4Para justificar a não adjudicação do concurso, o Governo Regional alegou a intenção de adotar, na Região, o sistema já vigente no Serviço Nacional de Saúde (prestação de cuidados de saúde na área da diálise por convenção, com possibilidade de fixação de preço compreensivo).

O que é isto de preço compreensivo?

O preço compreensivo engloba as componentes sessões de hemodiálise e diálise peritoneal, medicamentos e meios complementares de diagnóstico e terapêutica, acessos vasculares para hemodiálise relativas ao tratamento dialítico e às intercorrências que podem surgir no decurso do respetivo tratamento e que são passíveis de serem corrigidas no âmbito da gestão clínica de caso.

Ou seja, as três componentes (tratamento+fornecimento de medicação+acessos vasculares) quando atualmente a convenção regional só abrange o tratamento, ficando a medicação por conta do doente e os acessos vasculares para o erário público.

Coisa que o concurso público quis mudar, contemplando o tratamento+medicação mas deixando de fora os acessos vasculares.

hemodialise5Os que são os acessos vasculares? Antes de qualquer utente começar a hemodiálise precisa de um acesso vascular. O acesso vascular é o local por onde o sangue é retirado e devolvido ao organismo durante a diálise. Esta tarefa é, na Região, assegurada pelo SESARAM e, pelos vistos, vai continuar assim.

Não deixa de ser curioso que a proposta apresentada pela NephroCare coincide, ao cêntimo, com o valor colocado a concurso (12.655.094€).

Em todo o caso, o concurso até havia dado um passo positivo: incluiu nesta despesa estimada, a obrigação do prestador convencionado que ganhasse fazer as sessões de tratamento+medicação. E só na medicação, a despesa que se pouparia era relevante.

Façamos contas. Se a despesa por utente com medicamentos (para a anemia, vitaminas, ferro, etc.) for de 20 a 25 euros (por baixo), estamos a falar de uma poupança (para os três anos que vigoraria o contrato) de 1,68 milhões de euros (tendo por base 2.400 tratamentos por mês, 28 mil tratamentos/ano).