Quando a “tragédia” mora invisível na Avenida Zarco

 

cahpa 4
Fotos Rui Marote

Com Rui Marote

Na passada semana, os ventos fortes que atingiram drasticamente a Madeira levantaram também as chapas de zinco, no último piso do edifício da Avenida Zarco, onde funcionou a pastelaria “Mimo” e uma casa de bordados. Um perigo à solta no centro da cidade.
Tudo porque as chapas que cobrem uma estrutura préfabricada, no terraço, se soltaram e ameaçaram cair. Vestígios desse casebre caíram mesmo na Avenida Zarco e os transeuntes não ganharam para o susto.
cahpa 3Face a esta ocorrência, urge desmantelar as referidas chapas, sem esperar que os ventos de inverno venham colocar em perigo a segurança dos cidadãos. Basta ver que, só a título de exemplo, duas chapas foram perigosamente levadas pelo vento, tendo caído no vizinho Museu Vicentes.
chapas 2Compete à Câmara Municipal do Funchal entrar em ação junto do proprietário do imóvel para desmantelar, com urgência, o casebre em questão, evitando o cenário de colapso que se verificou no conhecido Edifício Caju, na Rua da Carreira, dois anos após os sucessivos alertas do FN.