CDS contesta gastos nas ribeiras quando ainda há 41 famílias por realojar depois do 20 de Fevereiro de 2010

rui barreto
O presidente da bancada parlamentar do CDS, Rui Barreto, esteve hoje de manhã no Monte, local “fustigado” pelo temporal de há alguns anos, onde desafiou o Governo Regional a dar prioridade ao realojamento das famílias que foram afectadas pela referida intempérie do 20 de Fevereiro de 2010. Barreto referiu na oportunidade que as pessoas não entendem como é que o executivo tem 24 milhões de euros para investir nas obras nos leitos das ribeiras funchalenses, quando existem ainda 41 famílias que precisam de ser realojadas, circunstância para a qual, disse, falta meio milhão de euros. “A prioridade devia ser as pessoas e o seu realojamento”, defendeu.
O deputado exigiu também ao Governo da República que proceda a uma revisão da taxa de juros que cobra à Madeira em virtude do empréstimo de 1.500 milhões de euros, a uma taxa de 3,375%, enquanto a República paga à “troika” 2.8%.