MPT denuncia gestão deficiente de água de rega para a agricultura

mpt

O MPT-Madeira insiste mais uma vez na questão da gestão da água de rega feita por instituições de cariz público como  Casas do Povo e associações privadas, para denunciar que a mesma “não corresponde aos anseios dos agricultores, que ficam cada vez mais privados desta água de rega, fundamental para que possam produzir produtos agrícolas com qualidade”.

Segundo o partido, é “grave” saber que foram distribuídos “milhões de euros” às referidas instituições e associações para poderem gerir e desenvolver o sistema de rega de apoio à agricultura, “constatando-se que os agricultores não conseguem perceber onde se aplicou essas enormes verbas, uma vez que no terreno nada se tem visto de novo, quer em obras de manutenção dos ramais de canalização de água, quer ao nível da construção de novas infraestruturas para fazer um melhor aproveitamento desse bem, fundamental para desenvolver uma agricultura de qualidade e sustentável”.

Neste sentido, o MPT-Madeira refere que deve ser a Secretaria Regional da Agricultura a fazer a gestão integral da água de rega na Região Autónoma da Madeira, de forma a poder fazer a manutenção dos canais e caudais de água, construir novas infraestruturas para poder aproveitar melhor este recurso natural e assim poder monitorizar em tempo real toda a actividade à volta da distribuição de água de rega.

“Sabemos que os canais e caudais de água (levadas) estão muito degradados, fazendo com que na distribuição deste recurso natural se perca nas várias fases do seu percurso. Os poços, tanques e reservatórios de água disponíveis para a rega agrícola, também apresentam sinais de degradação por não serem monitorizados e acompanhados, situação lastimável e degradante para quem tem de utilizar este recurso, onde se encontram todo o tipo de lixo, nomeadamente, esgotos, animais, etc.”, diz um comunicado do MPT.

Sabendo que a maioria dos agricultores é incentivada a praticar uma agricultura biológica, amiga do ambiente e do ser humano, o partido diz que existe um enorme contrasenso entre o que se incentiva e o que acontece na realidade, uma vez que o nível de contaminação da água de rega nos poços, tanques e levadas é grave e contra procedente com a agricultura biológica em voga.

“Estas preocupações e propostas já várias vezes referenciadas pelo MPT-Madeira em Assembleias de Freguesia e Municipais vêm ao encontro da ideia inicial, onde se torna urgente que o Governo Regional, através da Secretaria Regional de Agricultura, assuma de uma vez por todas, a responsabilidade integral sobre a distribuição de água de rega, para que os dinheiros públicos orçamentados em milhões de euros (dados ao desbarato e sem controlo) possam ser canalizados para as melhorias no sector agrícola, fazendo com que este recurso natural possa ser distribuído em maior quantidade e em maior igualdade por todos os agricultores da Ilha da Madeira”.