Sociedades de Desenvolvimento querem que o Parque Temático da Madeira seja um “laboratório” de projetos educativos

Parque temático 1

**Sociedades de Desenvolvimento querem que o Parque Temático da Madeira seja um “laboratório” de projetos educativos. Ideia lançada à margem da abertura de Exposições e da celebração do protocolo com a Escola do Curral.

Teve ontem lugar a celebração de um protocolo entre as Sociedades de Desenvolvimento/Parque Temático da Madeira e a Escola do Curral no intuito de desenvolver parcerias no âmbito das atividades tradicionais e etnográficas e de estreitar experiências na produção do linho, trigo e na manutenção de utensílios tradicionais.

Parque temático 2

Esta parceria reforça o objetivo das Sociedades em tornar o Parque Temático da Madeira um espaço dinâmico, vivido e aberto a projetos e ideias promovidos por entidades externas, quer sejam elas escolas, entidades ou agentes da Região.

No ato de celebração do protocolo Maria João Monte, Presidente das Sociedades de Desenvolvimento, valorizou este protocolo e referiu que “queremos que os estabelecimentos de ensino possam ter no Parque Temático um “laboratório” para a promoção de atividades e desenvolvimento de projetos, em particular projetos que incidam sobre tradição, cultura, etnografia, desenvolvimento rural, ambiente, agricultura, turismo, línguas, tecnologias e multimédia”. Adiantou ainda “nada melhor do que, no exercício de um projeto formativo do que existir um espaço concreto para a idealização e concretização de um projeto, como é o caso do Parque Temático da Madeira”.

Parque temático 3

De referir que, até o dia 6 de junho, do corrente ano, a Sala de Exposições do Parque Temático da Madeira, acolhe as exposições “Tormentos do Linho” e “Jogos Tradicionais” de Jaime Andrade.

As exposições agora patentes, no novo espaço reconvertido para exposições no Parque, retratam motivos da tradição Madeirense sobre o processo do linho e miniaturas de jogos tradicionais de outrora.

O ato oficial de inauguração contou com a presença da Presidente das Sociedades de Desenvolvimento, Maria João Monte, e de diversas individualidades e forças locais.