Silvestre Abreu no Liceu: um doente de diabetes custa 1500 euros/ano ao Estado

clube3
Silvestre Abreu ensina a combater a diabetes com exercício e boa alimentação. Fotos FN

Se um aluno pedir ao professor, com frequência, para ir à casa de banho, com sede e sinais de magreza, pode não estar a fingir mas a revelar os sintomas de um problema muito sério: diabetes. Este alerta foi deixado à comunidade escolar da Escola Secundária de Jaime Moniz, esta manhã, pelo médico endocrinologista Silvestre Abreu, no âmbito de uma conferência “Como prevenir a diabetes?”

O Liceu está a dinamizar a XVIII Semana dos Clubes e Projetos. O dia de hoje foi sobretudo dedicado a promover iniciativas sobre “Saúde, Arte e Cultura”. Um tema vastíssimo, multifacetado, com ações de sensibilização, exposições de trabalhos dos alunos, dança, pintura e rastreio, coordenadas pelo Projeto Saúde, a cargo da professora Maria José Barreto.

clube6
O rastreio à comunidade escolar da diabetes.

Estudantes, professores e demais funcionários efetuaram ainda o rastreio da diabetes, graças à colaboração da enfermeira Aldora Esteves, da Consulta de Endocrinologia do SESARAM.

Direto e claro, o médico Silvestre Abreu traçou um quadro realista da diabetes que tende  a crescer nas zonas urbanas e desenvolvidas, dado o aumento do poder de compra e erros de alimentação. Esta patologia é mesmo a primeira causa de cegueira, doença renal crónica, lesóes neurológicas (amputações) e as suas vítimas morrem,  em 80% dos casos, de doença cardíaca.

Segundo o diretor do Serviço de Endocrinologia do SESARAM, as estatísticas oficiais apontam para 416 mil milhões de doentes da diabetes e tudo aponta para um crescimento até aos 600 mil milhões. Acontece que muito dos casos estão ainda por diagnosticar, tornando-se uma doença invisível, em certos doentes.

clube sete
Natasha Diaz, acompanhada pelo pai Manuel Diaz, a mostrar o grande talento vocal.

Os custos são elevados. Uma pessoa em média custa ao Estado 1500 euros por ano, quase 1% do Orçamento de Estado reservado à saúde. Isto significa que o Estado português está a falhar nesta matéria porque gasta muito dinheiro no tratamento quando deveria atuar na prevenção.

Mas Silvestre Abreu deixou uma palavra de otimismo, salientando que é possível prevenir o aparecimento da diabetes combatendo a obesidade e o sedentarismo. Nesta lógica, a coordenadora da Unidade de Nutrição e Dietética do SESARAM, Teresa Esmeraldo, facultou algumas dicas alimentares, centrando o foco da sua intervenção na importância das leguminosas para a prevenção da doença.

Além da conferência, outras ações tiveram lugar em nome da saúde, designadamente aula pública de Yoga, pelo professor José Carlos, e ginástica aeróbica e riítmica, coordenada pela professora Fernanda Martins.

O Banco do Tempo também deu a sua colaboração com a leitura de um texto pertinente sobre a Educação nos tempos atuais, pela professora Carmo Araújo.

Esta sexta feira assinala o encerramento da XVIII Semana dos Clubes e Projetos com palestras de cariz ambiental e, na parte da tarde, o evento “Vozes do Liceu” e espetáculo de ginástica aeróbica e rítmica, “Eu Tenho um Sonho”.