Versões contraditórias no caso da turista que se atirou ao mar para alcançar navio de cruzeiro

Credit: Tobi Hughes Madeira
Foto Montagem do Daily Mail. Credit: Tobi Hughes
Madeira

Tem corrido mundo a história de uma turista de nacionalidade inglesa que, sábado à noite, se atirou ao mar na zona de Santa Cruz para, alegadamente, chegar ao navio de cruzeiro ‘Marco Pólo’.

Há versões contraditórias sobre a história. A mulher está internada na Casa de Saúde Câmara Pestana.

Tudo aconteceu sábado à noite quando a mulher, de 65 anos, entrou no mar em Santa Cruz e tentava alcançar a nado o navio de cruzeiro onde tinha viajado até ao Funchal.

A turista chegou à Madeira no sábado (26 de março), acompanhada pelo marido, a bordo do ‘Marco Polo’.

Por razões ainda não apuradas, os dois terão decidido regressar a Inglaterra de avião, pelo que se terão dirigido ao aeroporto.

O marido embarcou no voo das 18:55 com destino a Bristol mas a mulher ficou na Madeira.

Não se sabe se a ideia era embarcar, de novo, no navio mas a mulher não o terá feito a tempo e horas no porto do Funchal.

Acabou por ser recolhida horas mais tarde por pescadores amadores, na zona de Santa Cruz.

O resgate foi feito depois da meia-noite quando os pescadores amadores, no seu barquinho, a cerca de 500 metros da costa, ouviram, vindo do mar, a palavra Help.

A turista terá estado na água mais de três horas até ser socorrida.

Esteve no Hospital Nélio Mendonça com sintomas de hipotermia e está agora na Casa de Saúde Câmara Pestana com surto agudo psicótico.

O Correio da Manhã, o Observador, o Público e o britânico Daily Mail têm amplificado a história.

Sob o título “mulher britânica de 65 anos resgatada após tentar alcançar o navio de cruzeiro a nado’, o Daily Mail ilustra a reportagem com a imagem da zona do resgate, do navio Marco Pólo e dos três pescadores amadores que a resgataram.