Paulo Cafôfo considera o desemprego uma “calamidade social”

Paulo CafôfoA webletter desta semana do presidente da Câmara do Funchal dedica grande parte da análise à reversão do negócio da TAP por parte do actual governo socialista.

Contudo, Paulo Cafôfo não esquece temas actuais como a taxa do desemprego. Aliás, dá-lhe ‘destaque negativo’.

A Madeira regista a maior taxa de desemprego do país. A RAM continua sem conseguir criar emprego, sem capacidade para baixar a taxa de desemprego, e seguir a evolução positiva que se verifica a nível nacional. Sem crescimento económico não há emprego e era importante que a nível regional se concretizassem ações concretas para a inversão desta calamidade social”, revela.

Como destaque negativo merece também o impasse na direcção do Museu de Arte Sacra.

É fundamental para a cultura e turismo da Região que a questão da direção do Museu de Arte Sacra fique resolvida. Sabendo-se que o ex-diretor regional dos Assuntos Culturais, João Henrique Silva, é a pessoa escolhida, tomem-se os devidos procedimentos para preencher um lugar, vazio desde janeiro de 2015″, preconiza.

Pela positiva, destaca o Marítimo na final da Taça da Liga e  CAB eleito clube feminino do ano.