Raimundo Quintal culpa GR: “Quinta Magnólia é uma joia abandonada”

(Facebook Raimundo Quintal)
(Facebook Raimundo Quintal)

O Governo Regional anunciou, no início do ano, um projeto de reabilitação para a Quinta Magnólia, que passará por abrir aquele espaço emblemático do Funchal ao desporto, lazer e arte. Raimundo Quintal entende que é tempo de pôr mãos à obra e confessa a sua indignação pelo estado de degradação em que o imóvel se encontra.

Raimundo Quintal é conhecido pelo seu olhar atento e posição frontal quando se trata de denunciar atentados ambientais e descuidos na preservação dos patrimónios natural e edificado da Região.

A Quinta Magnólia volta a estar na agenda das suas preocupações e, pelo tom da sua mais recente publicação nas redes sociais, a situação de degradação a que a infraestrutura está votada é motivo de grande irritação.

“O estado em que o Serviço Regional de Proteção Civil deixou a casa da Quinta Magnólia e o posterior abandono por parte do Governo Regional provocam-me uma enorme indignação”, confessa, lamentando que um dos edifícios emblemáticos da Madeira pareça localizar-se num bairro degradado.

quinta magnólia
(Facebook Raimundo Quintal)

Para além da casa, a Quinta Magnólia integra uma significativa área natural e ajardinada, reconhecida pela sua diversidade botânica. São cerca de 40.000 m2 de espaços verdes com plantas exóticas. A piscina, o parque infantil, os campos de ténis, o circuito de manutenção e a esplanada há muito que deixaram de funcionar.

Mas também no exterior os sinais de abandono são evidentes e preocupantes.

quinta magnólia
(Facebook Raimundo Quintal)

“Não podemos continuar calados perante a crescente degradação duma das mais emblemáticas quintas da Madeira”, escreve Raimundo Quintal, fazendo acompanhar a sua mensagem de várias imagens obtidas ao longo dos últimos dez anos. “Agradecia que observassem atentamente as fotografias e as respetivas datas. Devido à irresponsabilidade do Governo Regional a Quinta Magnólia é uma joia abandonada”, sublinha o investigador.
Não terá sido esta a primeira vez que Raimundo Quintal alerta sobre o estado confrangedor em que se encontra um espaço tão acarinhado por madeirenses e estrangeiros.
“Já perdi a conta das vezes que escrevi a alertar sobre o abandono a que foi votado o património botânico e arquitetónico da Quinta Magnólia. Por favor, não me venham mais falar em estratégias para o Turismo de Jardins na Madeira”.

quinta magnólia
(Facebook Raimundo Quintal)

Recorde-se que algumas instituições desportivas, como a Associação de Ténis e o CD Nacional, chegaram a reclamar o espaço para as suas atividades, mas o Governo Regional anunciou, em janeiro último, um projeto de reabilitação do imóvel, cuja abertura ao público está marcada para 2018. Segundo o Executivo, o programa funcional para o espaço estará já definido – desporto, lazer e arte -, mas os pormenores do projeto, a cargo da PATRIRAM, ficaram prometidos só para o final do primeiro semestre deste ano.