Alivar Cardoso e o Clube Naval do Funchal em tempo de aniversário

 

alivar cardoso
Foto Rui Marote

A foto documenta um período da história do Clube Naval do Funchal que assinala mais um aniversário, quando era presidido por Alivar Cardoso, distinto médico madeirense e amante do desporto, já falecido.

Na imagem, é possível ver-se ainda o comandante naval, Vasco Catanho, o comodoro do Clube, e o jornalista não menos conhecido da Rádio, Juvenal Xavier.

O FN evoca hoje uma figura de relevo na medicina insular, o otorrinolaringologista Alivar Cardoso, com grandes serviços prestados nesta ilha, em termos médicos e desportivos, pois era um apaixonado pelo mergulho.

Relativamente ao CNF, o seu nome dispensa palavreado. É hoje uma referência importante no âmbito do desporto e do lazer da Madeira.

Segundo reza a sua história inscrita no site institucional, “o CNF, estatutariamente, é uma associação desportiva, recreativa e de instrução, que tem como objectivo principal, o desenvolvimento junto dos seus associados do gosto pela prática do desporto, sobretudo náutico e proporcionar aos seus visitantes o acesso às actividades que o Clube desenvolve.

O C.N.F. foi fundado a 1 de Maio de 1952 e ao longo deste meio século de existência, tem desenvolvido um papel importantíssimo no incentivo e apoio aos desportos náuticos, tanto a nível regional como nacional, tendo inclusivamente atletas seus representantes, em competições de nível internacional e olímpico nas representações nacionais em Seoul em 1988, Barcelona em 1992 e recentemente, Pequim em 2008.

A actividade do C.N.F., iniciou-se com sede provisória na Capitania do Porto do Funchal, avançando-se de seguida com a construção de um posto náutico em São Lázaro, então constituído por um barracão e um pequeno cais sobre pontões de madeira.

Para a sede foi escolhida e arrendada a Quinta Calaça, uma milha a oeste de São Lázaro, na baía que deu nome à Quinta, seguindo-se a construção de dois acostáveis e uma pequena piscina na Calaça”.

Entretanto, uma das primeiras iniciativas do Naval, foi a formação do pessoal adepto das lides náuticas, avançaram os cursos amadores, de principiantes, marinheiros e patrões de costa e, um ano após a sua fundação, o C.N.F. já possuía vários associados habilitados a comandarem embarcações de recreio “dentro dos limites do Arquipélago da Madeira.
Porém, pode dizer-se que foi a realização da I Regata Oceânica Lisboa – Madeira, realizada em Julho de 1950 o motivo principal para o surgimento em Maio de 1952, do Clube Naval do Funchal.

Nos anos cinquenta, logo a seguir à Guerra, aumentou o rumo ao mar entre os desportistas madeirenses.
Havia a natação nas Piscinas públicas do Lido e Barreirinha, já com espírito competitivo e os jogos de water-polo, além das travessias Cais do Funchal – Lazareto e outras dentro do molhe da pontinha (leia-se porto do Funchal (…)”