Negociações entre António Costa e forças de esquerda prosseguem para formar governo

(*Com LC)

Imagem: sicnoticias.sapo.pt
Imagem: sicnoticias.sapo.pt
As negociações entre representantes do PS, BE e PCP prosseguem, com a coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins a assegurar que o partido está “muito empenhado e determinado” nas negociações com o PS. Catarina Martins afirmou que o PS concordou  com certas condições determinadas pelo Bloco.

“O que dissemos é que estaríamos disponíveis para uma solução de governo do país que afastasse a direita, que governou sempre contra a constituição e podermos ter um novo governo e estávamos dispostos para conversar com o PS com três condições: acabar com o congelamento das pensões, acabar com a redução da TSU patronal que descapitaliza a Segurança Social e acabar com o regime conciliatório que facilita os despedimentos. O Partido Socialista mostrou disponibilidade para aceitar as condições do Bloco de Esquerda e iniciamos negociações para ser possível um outro governo “, esclareceu.

Fontes ligadas às negociações referiram à Lusa que as negociações entre o PS, o BE e o PCP prosseguem quinta e sexta-feira, com o intuito de encontrar uma alternativa de governo à esquerda.

Nesta quarta-feira à tarde realizou-se o segundo encontro entre a comitiva socialista e “Os Verdes” na Assembleia da República, com a intenção de marcar um eventual terceiro encontro, possivelmente para sexta-feira. Por agendar encontra-se também uma segunda reunião entre PS e PAN (Pessoas, Animais e Natureza).

No meio de todas estas negociações, a Presidência da República agendou para terça e quarta-feira da próxima semana as audições aos partidos com assento parlamentar.  Cavaco Silva declarou, em comunicado, que transmitirá directamente aos portugueses as decisões políticas que vier a adotar.

Já em Bruxelas, o secretário-geral do PS, António Costa, e a porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, entram em contato com dirigentes europeus nesta quinta feira. António Costa encontra-se em Bruxelas para participar na reunião dos Socialistas Europeus.  A dirigente do BE também se encontra em Bruxelas onde participa no encontro do grupo parlamentar Esquerda Unitária.

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, avaliou como “absolutamente normal” que o secretário-geral do PS negocie à esquerda para formar governo e reconheceu que gostaria de ver o seu “amigo António Costa” tornar-se primeiro-ministro.