José Manuel Rodrigues defende apoios às IPSS

wpid-dsc01270.jpg

O candidato do CDS-PP às próximas legislativas nacionais, José Manuel Rodrigues, continua a desdobrar-se em reuniões com os mais variados responsáveis e instituições. Desta feita, reuniu hoje com o presidente da União das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), padre Francisco Caldeira. Um encontro que se insere num ciclo de reuniões iniciado há duas semanas com instituições de uma ou outra forma ligadas ao Estado português, e que se irão prolongar até ao final de Setembro.

No caso das IPSS, José Manuel Rodrigues tomou conhecimento de que existem alguns sinais de melhoria social, mas que continua a existir a “pobreza envergonhada” na RAM e a constatação de que as famílias com menores recursos financeiros estão a resvalar para a pobreza.

“A Madeira tem a mais alta taxa de desemprego do país”, lembrou, o que “contribuiu para o aumento da pobreza e à exclusão social”.

Se não há situações mais dramáticas, disse José Manuel Rodrigues, isso deve-se ao trabalho das IPSS, que fez questão de realçar.

“É preciso uma nova aposta do Governo e do Estado, nas IPSS, que conhecem melhor os problemas, dos quais estão mais próximas”, asseverou.

Estas instituições devem consciencializar-se de que são as IPSS que devem aproveitar os fundos europeus disponíveis para apoiar a inclusão social, em vez de serem as entidades governamentais a chamarem a si as verbas disponíveis da Europa, verbas essas que acabam por não chegar a quem delas verdadeiramente necessita, defendeu o líder do CDS na Madeira.

José Manuel Rodrigues fez ainda questão de denunciar uma “campanha” de certos partidos da oposição, que em seu entender tentam colar o CDS ao PSD na Região. Rodrigues esclareceu que na RAM CDS e PSD concorrem separadamente, ao contrário do que acontece no continente. E ainda garantiu que aqueles que foram deputados do CDS no Parlamento nacional deram provas de defender os interesses da Madeira.