Soldados norte-americanos e um inglês evitam atentado em comboio na França

wpid-85120632_francearras4640815.png

Um grande susto foi o que sem dúvida sofreram ontem os passageiros de um comboio que viajava no norte da França, entre Amesterdão e Paris. Um homem armado, de origem marroquina, de 26 anos de idade e que já estava referenciado pelas autoridades francesas como suspeito, abriu fogo contra os passageiros com uma espingarda automática Kalashnikov. Em sua posse tinha mais de 300 cartuchos. Contudo, só feriu três pessoas, graças à corajosa acção de três norte-americanos que viajavam no comboio, dois dos quais, Spencer Stone e Alek Skarlatos, são membros da Força Aérea e da Guarda Nacional, respectivamente.

Ao verem o atacante avançar pelo meio dos assentos do comboio, conseguiram desarmá-lo da Kalashnikov que transportava e de uma pistola. O atacante estaria, ainda, armado com uma faca.

Os americanos, ajudados por um cidadão britânico, Chris Norman, conseguiram dominar e estrangular o marroquino até que o reduziram à inconsciência.

Outro amigo dos americanos, Anthony Sadler, também ajudou a dominar o atacante.

Um outro homem ainda, que não foi identificado, sofreu cortes graves no pescoço e foi hospitalizado.

Spencer Stone, que também foi agredido com a faca pelo homem, que tudo indica se preparava para perpetrar um atentado contra vítimas inocentes, continua também hospitalizado.

Os americanos e o cidadão britânico receberam já medalhas por bravura por parte das autoridades francesas, em Arras.

O presidente francês François Hollande, o presidente norte-americano, Barack Obama, e o primeiro-ministro inglês, David Cameron, já vieram a público agradecer e elogiar a coragem dos que impediram o que poderia ter sido um banho de sangue.