Responsável pelo atentado na Tailândia não actuou sozinho

wpid-screenshot_2015-08-19-18-42-50.png

O bombista responsável pelo assassinato de 20 pessoas na Tailândia na passada segunda-feira não actuou sozinho: faz parte de uma rede, referiu o chefe da Polícia tailandesa, que divulgou um retrato-robot do suspeito, um homem de t-shirt amarela que foi identificado através de câmaras de segurança. As filmagens mostram um homem jovem a deixar uma mochila no santuário de Erawan, onde decorreu o atentado.

Outras duas pessoas que também surgem nas filmagens estão,de acordo com as autoridades policiais, a ser investigadas como suspeitas.

Este foi, conforme admitiu o primeiro-ministro da Tailândia, Prayuth Chan-ocha, o pior ataque já ocorrido no país, e que poderá ter um impacto tremendo no turismo.

O santuário hindu onde o ataque bombista ocorreu era popular junto dos turistas. Reabriu na quarta-feira ao público.

Conforme noticiou a AP, citando o chefe da Polícia, Somyot Poompanmoung, o ataque não foi certamente realizado apenas por uma pessoa. O policial disse que estava certo de que havia cidadãos tailandeses implicados no atentado.

Porém, o principal suspeito, ainda não identificado, é mencionado no mandato emitido para a sua captura pelo tribunal criminal do Sul de Bangkok como “um estrangeiro desconhecido”.

Um porta-voz da Polícia disse que o homem poderá ter origem étnica “mista”.

Uma recompensa de um milhão de baht (cerca de 18 mil euros) foi oferecida por informação que leve à sua captura.

As informações veiculadas até agora deixam entrever que se pode ter tratado de uma conspiração internacional, talvez com um motivo religioso e não apenas político.

Segundo a BBC, há indícios de que o homem actualmente procurado terá sido conduzido ao aeroporto e já terá fugido do país.

Tailandeses, chineses, britânicos, indonésios, malaios e cidadãos de Singapura estão entre as vítimas (na sua maioria tailandesas).

Num outro ataque na terça-feira, um engenho explosivo foi arremessado a um cais de Bangkok. As autoridades admitem que os dois incidentes possam estar ligados. Porém, este outro atentado não causou vítimas.