Verão à moda dos 4Litro

Os 4Litro
Os 4Litro

|*Com Lília Castanha|

Há 11 anos na Ponta do Pargo, concelho da Calheta, surge um grupo de comédia madeirense, os 4Litro, que têm vindo a sobressair a nível regional, nacional e internacional junto da comunidade portuguesa espalhada pelo mundo. O seu primeiro vídeo “O Turista” foi publicado no YouTube a 16 de Janeiro de 2007. Desde então têm vindo a fazer espetáculos, peças de teatro e vídeos humorísticos a atingir um número de visualizações surpreendente. Recentemente, vimos na sua página do Facebook, o vídeo “O engate”, que retrata a praia  típica madeirense com inspiração na série “Marés Vivas”, onde não faltam o sol, o mar, o calhau, corações ao rubro e um pneu a servir de bóia em vez da câmara de ar que era frequente ver há anos atrás; um conjunto de elementos que fazem parte dum Verão madeirense que se preze, como poderão observar:

O Funchal Notícias não quis deixar passar a oportunidade de partilhar a conversa que manteve com este grupo madeirense que anima o pessoal dentro e fora da Madeira e que se revelou disponível para responder às nossas questões.

 FN –  Como surgiu a ideia de formar os 4Litro?

4Litro – Os 4litro surgiram de uma brincadeira entre dois amigos, Luís Paulo Sousa e Rúben Sousa, Há uns 10 anos atrás não existia Facebook e o vício pelos computadores não era como hoje, e em plena juventude tínhamos um gosto enorme pela câmara de vídeo, na altura não tinhamos condições financeiras para poder comprar uma boa máquina, tínhamos uma mini maquina (tipo GoPro) que só gravava 10 segundos. Gravávamos as nossas loucuras e depois de um dia inteiro a filmar até ficar sem bateria , víamos o resultado final no PC do Rúben; depois de um curto espaço de tempo  juntamos mais dois amigos, o Juvenal e o Ricardo e começamos a fazer vídeos a “sério”, já com o intuito de colocar no YouTube; foi aí que surgiram os vídeos “Turista”, “Testemunha de Jeová”, entre  outros. Começamos a colocar vídeos no YouTube, na altura não tínhamos nome, após algum tempo recebíamos boas críticas dos amigos e os vídeos iam sendo partilhados na altura pelo MSN (chat); então eu, Luís Paulo Sousa, numa conversa com os outros amigos decidimos escolher o nome 4litro; eramos quatro e como brincávamos com o quotidiano rural e uma das expressões usadas era “Vamos beber um 4litro de vinho”, assim ficou os 4Litro. Então começamos a crescer e a fazer vídeos e a fazer espetáculos ao vivo e mais tarde peças de teatro. Hoje somos uma referência madeirense também lá fora junto das comunidades madeirenses.

FN – O projeto 4Litro é um trabalho a tempo inteiro ou é mais um part-time fora dos vossos empregos normais?

4Litro – O projecto 4litro parece que não mas é de uma grande responsabilidade, cada vez mais o é!   Nós os quatro, Bernardo Freitas, Luís Paulo Sousa, Duarte Nóbrega e Alexandre Ferreira trabalhamos a tempo inteiro no projeto 4litro que agora é uma associação Cultural; nunca poderíamos fazer disto um part-time pois sabemos o que temos em mãos e queremos sempre crescer e fazer melhor e cada vez mais surpreender as pessoas com a nossa qualidade. Temos formação profissional na área das artes, e muitas vezes somos encarados como amadores, uns tontos que andam em palco a fazerem-se de bêbados, mas não, não é fácil fazer o nosso trabalho com qualidade, há muitos que tentam fazer o que fazemos e não conseguem, pois somos empenhados e damos 100% em palco e em vídeos. Hoje em dia estamos quase nos 60 mil “likes” no facebook, temos dois vídeos com quase 1 milhão de visualizações. Somos pessoas humildes e com os pés na terra, somos simpáticos para quem nos segue e para quem gosta do nosso trabalho e igualmente para quem nos critica; é aí que usamos a nossa força para continuar, no apoio dos nossos fãs e nas críticas.

4Litro - Bebendo (versão madeirense)
4Litro – Bebendo (versão madeirense)

FN –  Donde vem a inspiração para as vossas atuações, em vídeo e em palco?

 4Litro – Vem do dia a dia daquilo que observamos nas ruas, na TV, basicamente vem da nossa observação e do poder de improvisação. De referir que também fazemos peças de teatro, que é diferente das atuações ao vivo, as peças de teatro que já vão na 10ª produção; é mais elaborado, criamos sempre uma história de raiz e vamos trabalhando naquela história, onde temos um plano mas trabalhamos muito no improviso, por isso de peça para peça a história é a mesma mas o que muda é a conversa e a maneira de dizer etc.

FN – Costumam ensaiar tudo ao pormenor ou por vezes deixam lugar ao improviso?

 4Litro – Como referi ensaiamos algumas cenas que achamos que devem ser ensaiadas, mas há muita coisa que vem ali na hora de improviso, por isso rimos algumas vezes em palco, porque não sabemos o que vai sair dali às vezes, mas acho que isso é uma marca dos 4litro, o improviso em palco.

FN –  Em que épocas costumam ter mais contatos para atuações?

4Litro – Na época de verão. Durante as outras épocas do ano fazemos os nossos espetáculos, quer no centro de Congressos da Madeira e as nossas peças de teatro.

FN –  Costumam ter convites para atuar no estrangeiro?

 4Litro – Sim, recebemos muitos convites para actuar fora, por vezes ficam sem efeito. Já tivemos duas vezes em Jersey na Inglaterra e agora recentemente em Guernsey. Tivemos casa cheia sempre das duas vezes. Já fomos contactados para ir a Venezuela mais de 3 vezes, África do Sul , América …porém ficou sem efeito, as pessoas pensam que vamos por um almoço pago e viagens pagas, mas não, somos artistas e isto é o nosso trabalho; existe ainda uma mentalidade que os artistas devem trabalhar de borla, mas não, essa mentalidade tem de mudar. Aqui na Madeira já vai mudando.

FN – Qual foi a atuação que consideram mais marcante daquelas que já fizeram até hoje?

 4Litro – Talvez a do ano passado em São Vicente, talvez por estar muita gente para nos ver, porém  o mérito não nos foi dado, mas sim ao artista que veio depois de nós. Às vezes não somos reconhecidos pelo nosso trabalho e dedicação, mas não faz mal, vamos continuar sempre com este ritmo e trabalhar no duro. Uma actuação que correu super bem foi a do ano passado na semana gastronómica de Machico, de salientar que foi no meio da semana e estavam quase 5 mil pessoas a assistir.

FN – Já aconteceu alguma vez ocorrer algo que não estavam à espera numa atuação?

4Litro – Isso acontece-nos sempre. Como trabalhamos no improviso às vezes começamos a rir em palco, às vezes somos interrompidos por um bêbado que quer falar ao microfone. Muitos bailarinos também sobem ao palco para dançar .

FN – Preferem fazer atuações ao vivo ou fazer as gravações dos vossos vídeos?

4Litro – Cada um tem o seu espaço, por vezes as pessoas pensam que as gravações vão ser diversão e riso do início ao fim, mas nem sempre é assim. Existe o “Corta e repete” e levamos às vezes um dia inteiro para gravar um vídeo de 4 minutos, como acontece com os videoclips que gravamos com o Paulo Sardinha, por vezes são precisos dois dias, mas o resultado final é espetacular. Mas claro que nos divertimos imenso a gravar e adoramos o que fazemos. As atuações ao vivo também têm o seu lugar e em muitas delas divertimo-nos imenso a divertir os outros.

FN – O público adere mais à visualização dos vídeos ou aos espetáculos?

4Litro – Os vídeos são visto por muitas pessoas, sem dúvida; temos em média por mês, no geral, 250 mil visualizações ou mais, depende do mês, o que é um grande feito para um grupo madeirense. Nos espetáculos ao vivo as pessoas aderem bastante, nas peças de teatro temos tido sempre casa cheia, quer na Casa da Cultura de Câmara de Lobos ou no Fórum Machico, que foi onde fizemos as nossas últimas peças.

FN – Quais os espectáculos e vídeos que têm programados para este Verão? 

Neste Verão temos agenda cheia. Vamos atuar na Festa da Banana a 19 de Julho, na La Barca Vip, no arraial de Santana e na Semana do Mar. Em Agosto, vamos estar em S. Roque na Festa da  Alegria, na Semana Gastronómica de Machico, na Festa da Espada em Câmara de Lobos e no dia 21 no Porto Santo. No mês de Setembro também já temos algumas datas marcadas.  Em relação a vídeos temos um novo videoclip para gravar e lançar até ao início de Agosto, uma paródia da música do “C4 Pedro – Vamos Ficar Por Aqui”. A nossa versão é 4Litro – Não vamos ficar mais aqui.

E não, não se fiquem por aqui, continuem a ler outras notícias do nosso Funchalnoticias.net.