Região pede ajuda a Passos Coelho para renovar frota de espadeiros

(Foto Direção Regional de Pescas)
(Foto Direção Regional de Pescas)

A Madeira quer financiamento da União Europeia para a renovação da envelhecida frota dos espadeiros. É preciso alterar as leis comunitárias para que o sector seja contemplado. O pedido de ajuda foi feito a Passos Coelho, esta semana, durante a sua visita à Região.

Tem sido o parente pobre do sector das pescas. A captura do peixe espada-preto continua a ser assegurada na Madeira por cerca de 20 embarcações antigas e completamente obsoletas em termos técnicos e de condições de trabalho. Os barcos ultrapassam os 40 anos de uso e já há muito que ultrapassaram o limite da sua vida útil, obrigando as tripulações a condições de trabalho muito difíceis e com riscos para a sua segurança.

Até ao momento, porém, não existe nenhum tipo de apoio comunitário que contemple a renovação deste tipo de embarcação, uma situação que tem adiado a requalificação desta pescaria para níveis mais competitivos.

O novo Executivo quer mudar a face da pesca do peixe espada-preto, criando condições para que a atividade possa vir a beneficiar de melhores barcos. Para tal será necessário rever a legislação comunitária atual que não contempla qualquer tipo de ajuda à reconversão das embarcações deste segmento.

Aproveitando a visita de Passos Coelho, esta semana, as autoridades regionais procuraram sensibilizar o Primeiro-Ministro para esta contingência e solicitaram a intervenção do Governo da República junto das instâncias europeias no sentido de se criar um regime de exceção aos espadeiros da Madeira.

“Temos, de facto, um problema com os barcos de peixe espada-preto que estão muito velhos. Em média têm 43 anos e já não suportam melhorias. Temos estado a pressionar as autoridades no sentido de influenciar a Comissão Europeia com vista a abrir uma exceção para que se possa renovar a frota”, adiantou o diretor regional de Pescas.

Luís Ferreira confirmou ter abordado o Primeiro-Ministro neste sentido, aquando da sua visita à Madeira esta semana, acreditando que a intervenção do Governo da República poderá vir a ter resultados a curto prazo.

Recorde-se que o sector das pescas gerou em 2014 receitas na ordem dos 17 milhões de euros, registando médias anuais de captura de 5 mil toneladas de peixe nas diversas espécies tradicionais (chicharro, cavala, espada, tunídeos e peixe fino). Trata-se de um sector que emprega cerca de 900 pescadores, num total de 96 embarcações.