CDS indiferente aos críticos avança com pacote da transparência

DSC04024
O primeiro encontro de trabalho parlamentar dos deputados do CDS-PP.

Se há crise dentro do CDS-PP, José Manuel Rodrigues assobia para o ar e procura mostrar serviço. Os resultados eleitorais não lhe correram de feição, porque ficou a um passo de tirar a maioria absoluta a Albuquerque, mas os populares prometem luta renhida no Parlamento da nova era social-democrata.

A primeira reunião entre os deputados aconteceu esta manhã. Na chefia, tudo igual como antes: Lopes da Fonseca reeleito líder parlamentar e Isabel Torres indicada para continuar como vice-presidente da Assembleia.
José Manuel Rodrigues prefere responder aos críticos com trabalho no hemiciclo. Por isso, nesta segunda feira, vai entregar o “pacote legislativo para a transparência. São quatro propostas legislativas

a) Registo de interesses dos deputados e dos titulares de cargos públicos
b) Estatuto da Oposição
c) Comissões de Inquérito
d) Alteração ao Regimento da ALM para que as Resoluções voltem a ser discutidas em plenário e não nas comissões, conforme determinou o tribunal Constitucional depois de uma queixa apresentada pelo CDS/PP.
Apesar dos deputados já estarem a trabalhar para a próxima legislatura, há feridas que continuam por sarar dentro do partido. A lista para as últimas eleições gerou algumas divergências entre militantes. Depois, os resultados aumentaram a celeuma interna, estancada aparentemente nas reuniões do conselho regional e comissão política.
Mas o Funchal Notícias apurou que a ideia de José Manuel Rodrigues seria fazer regressar à Assembleia Regional Rui Barreto, atual deputado em São Bento, ocupando o seu lugar em Lisboa. Barreto seria o líder parlamentar. Mas esta estratégia terá saído gorada com a recusa do deputado do CDS na República porque não estaria disposto a fazer uma oposição taco a taco com o PSD.
;
.