Bispo assinala Dia do Doente

bispo_funchal

A missão da Igreja Católica, visa cuidar do homem todo e de todos os homens como disse Paulo VI, em Fátima, em 1967. Se é importante o acompanhamento espiritual e religioso de quantos o pedem, é também essencial a preocupação pelo seu bem-estar bio-psico-social e cultural.

Neste sentido o Secretariado Diocesano da Pastoral da Saúde celebra hoje o Dia Mundial do Doente, no dia 11 de Fevereiro de 2015, no Lar da Bela Vista, pelas 15 horas, com uma eucaristia presidida pelo Bispo do Funchal, D. António Carrilho.

Para a vivência deste dia de uma forma mais intensa, o Papa Francisco na sua mensagem, convida-nos a meditar uma expressão do livro de Job: «Eu era os olhos do cego e servia de pés para o coxo» (Job 29,15). Gostaria de o fazer na perspectiva da sapientia cordis, da sabedoria do coração. (…) Sabedoria do coração é servir o irmão. (…) Sabedoria do coração é estar com o irmão. (…) Sabedoria do coração é sair de si ao encontro do irmão. (…) Sabedoria do coração é ser solidário com o irmão, sem o julgar. (…) Mesmo quando a doença, a solidão e a incapacidade levam a melhor sobre a nossa vida de doação, a experiência do sofrimento pode tornar-se lugar privilegiado da transmissão da graça e fonte para adquirir e fortalecer a sapientia cordis. ” (da Mensagem do Papa Francisco para o XXIII Dia Mundial do Doente). É importante enquanto cristãos, enquanto cidadãos darmos continuidade a esta vivencia proposta pelo Papa Francisco à luz de Job: Ser para o outro que precisa de nós pois o “tempo gasto junto do doente é um tempo santo (…) a caridade precisa de tempo. Tempo para cuidar dos doentes e tempo para os visitar. Tempo para estar junto deles (…) ” (da Mensagem do Papa Francisco para o XXIII Dia Mundial do Doente).

Segundo Fernanda Esteves, responsável pela Pastoral da Saúde, “este XXIII Dia Mundial do Doente é a oportunidade de mudarmos a nossa atitude e iniciarmos a dar tempo à vida, a dar tempo a quem de nós precisa. Hoje eles, amanhã nós…”