MPT sugere subsídio à classe média

O MPT emitiu um comunicado questionando o que fazer com os mil milhões de dívida das empresas da Zona Franca/CINM ao Governo Regional? Baixar a dívida?

“Não, pois isso seria só momentâneo, logo em seguida a coligação faria mais dívida em tachos e betão, e o dinheiro não passaria pela Região”, responde o partido à sua própria pergunta. “Diminuir impostos? Isso beneficiaria mais os que têm altos rendimentos, pois poderão consumir muito mais. Investir? Não precisamos de mais betão. E que tal ajudar as famílias mais carenciadas?”

De acordo com a Direcção Regional de Estatística, em 2020, metade da população regional que entrega o IRS (i.e., cerca de 80 mil pessoas) recebe menos de 9610€/ano de rendimento bruto declarado deduzido do IRS liquidado. As 90 mil pessoas que não entregaram o IRS são dependentes, refere o MPT.

Nestes tempos de crise, o partido defende que deve ser dado: a) um subsídio de 350€/ano aos sujeitos passivos que auferem menos de 10.000€/ano de rendimento bruto declarado deduzido do IRS liquidado; b) um subsídio de 350€/ano a todos os dependentes, por forma a permitir que os casais possam ter filhos.

“O custo desta medida seria de cerca de 60 milhões de euros por ano. Seriam mais 60 milhões de euros por ano a circular na nossa economia, a manter empregos e a gerar receitas para o Governo Regional”, defende o Partido da Terra.