Instituto de Emprega assina 13 contratos de incentivos à criação de novas empresas

Foto: madeira.gov

O Governo Regional, através do Instituto de Emprego da Madeira (IEM), celebra mais 13 contratos de concessão de incentivos para a criação de novas empresas, no âmbito do Programa de Criação de Empresas e Emprego (CRIEE).

O presidente do Governo Regional estará, amanhã, quinta feira, pelas 12 horas, na cerimónia de assinatura dos contratos, que decorrerá no salão nobre do Executivo madeirense, na Avenida Zarco.

Estes projetos contemplam a criação de 26 novos postos de trabalho e correspondem a um montante global de apoio por parte do IEM de 290 147,54 euros.

O Programa de Criação de Empresas e Emprego (CRIEE), é uma das 18 medidas de emprego promovidas pelo Instituto de Emprego da Madeira

No âmbito da presente assinatura a maioria (54%) dos promotores tem idade compreendida entre os 30-44 anos, seguindo os promotores com idade igual ou superior a 45 anos (31%).

Desde 2015, o Governo Regional, através do IEM, aprovou 470 projetos de criação da própria empresa, num total de 820 novos postos de trabalho, o que representa um investimento global de 8,2 milhões de euros.

 

Durante o ano de 2022, no âmbito da referida medida, este Instituto já celebrou 52 contratos de concessão de incentivos de projetos, num total de 91 postos de trabalho, a que equivale um montante total de apoio de 972.413,06 €.

Sublinhe-se que, ciente da importância que o empreendedorismo representa para a dinamização da economia regional, o Governo Regional criou o programa CRIEE, que tem como objetivo apoiar a criação do próprio emprego, por parte de desempregados com espírito empreendedor e que apresentem um projeto de investimento viável, bem como contribuir para a criação de outros postos de trabalho que sejam necessários ao desenvolvimento do projeto.

A fixação dos projetos é de âmbito regional, sendo mais prevalente no concelho do Funchal, com cerca de 52% do total dos projetos aprovados, seguindo-se os concelhos de Santa Cruz (13%) e Ponta do Sol (9%).

Cerca de 58% dos projetos são respeitantes a atividades de serviços, seguindo-se as áreas da restauração e similares e do comércio.