Catequese do Papa reforça a importância das alianças fraternas entre os povos

o Papa abençoou a escultura “Sheltering” (“Abrigo”, na tradução livre) que convida o mundo a cuidar dos moradores em situação de rua.
A viagem apostólica do Papa ao Bahrein foi o tema da catequese do Santo Padre na Audiência Geral desta quarta-feira, realizada na Praça São Pedro. Uma visita do Papa a um pequeno país com uma grande maioria islâmica, motivada por três palavras, explicadas pelo Papa: diálogo, encontro e caminho.
“A primeira visita de um Papa ao Bahrein representou um novo passo no caminho entre fiéis cristãos e muçulmanos: não para nos confundirmos nem para diluir a fé, mas para construir alianças fraternas em nome do Pai Abraão, que foi peregrino na terra sob o olhar misericordioso do único Deus do Céu, Deus da Paz. Por isso, o lema da viagem foi “Paz na terra aos homens de boa vontade”.”
O Papa convidou todos a sentirem-se chamados “a dilatar os horizontes, corações dilatados, não fechados, duros”, mas abertos, “porque somos todos irmãos e para que essa fraternidade humana cresça. Dilatar os horizontes, alargar os interesses e nos dedicar ao conhecimento dos outros”. “Se alguém se dedicar a conhecer os outros, nunca será ameaçado. Para prosseguir, o caminho da fraternidade e da paz tem necessidade de todos e de cada um.”
Ao final da Audiência, o Pontífice renovou seu convite à oração pela “Ucrânia martirizada”:
“Pedimos ao Senhor a paz para este povo tão atribulado e que sofre tanta crueldade, tanta crueldade, por parte dos mercenários que fazem a guerra.”
Ainda na Praça, o Papa abençoou a escultura “Sheltering” (“Abrigo”, na tradução livre) que convida o mundo a cuidar dos moradores em situação de rua. No próximo domingo, a Igreja celebra o Dia Mundial dos Pobres. A obra é do artista canadense Timothy Schmalz, autor de “Anjos sem o saberem” (“Angels Unawares”) sobre migrantes e refugiados, instalada na Praça São Pedro em 2019.
A escultura, em tamanho real, é feita de bronze e mostra a figura de uma pessoa em situação de rua a ser coberta por uma manta, puxada por uma pomba em voo. A obra promove a “Campanha 13 Casas”, da Família Vicentina.