SESARAM deu conta do impacto da greve dos farmacêuticos

 

O SESARAM deu ontem conta, relativamente à greve dos Farmacêuticos convocada pelo Sindicato Nacional dos Farmacêuticos nos dias 25 e 26 de Outubro, de que no primeiro dia de greve, dos 34 farmacêuticos do SESARAM, 4 estavam no gozo do direito a férias, 22 gozaram o direito à greve. No segundo dia mantiveram-se os mesmos números.

Ao longo da manhã do dia 25/10/2022 foi possível saber a adesão à greve uma vez que este departamento tem um regime de três horários de trabalho diferentes: entradas às 8h00, às 9h00 e às 11h00.

Apesar dos números registados ao nível da adesão à greve, os serviços mínimos foram cumpridos.

O cumprimento do direito a greve provocou, lamentavelmente, atrasos na entrega e preparação da medicação, uma vez que é de todo impossível que os farmacêuticos mesmo a cumprir o serviço mínimo executem todo o trabalho diário, pelo que o SESARAM pede desculpa pelas dificuldades.

Ao longo do dia foi dada atenção aos seguintes serviços prioritários:

  1. a) Hemato-oncologia – a Farmacotecnia preparou Anti Corpos monoclonais;
  2. b) UCINP – foi preparada a Nutrição Parentérica para a UCINP;
  3. c) Dispensa de medicamentos na farmácia de ambulatório hospitalar;

Em relação a demais serviços afectados foram já reagendados:

– As intra vítreas dos doentes do Serviço de Oftalmologia;

– Um tratamento de Natalizumab para a Neurologia;

No que diz respeito à maioria dos restantes serviços, uma vez que o tipo de fornecimento é o de RNS – Reposição de nível de stocks e tradicional e havendo ainda, no Hospital dos Marmeleiros, no Bloco Operatório, no Serviço de Urgência e no Serviço de Pediatria, uma ‘Pyxis’ com medicação para a utilização diária ou para situações de emergência, não foram afectados.