Jardim reage à direcção maritimista em enigmático comunicado

foto R. Marote (arquivo)

O antigo presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, emitiu um enigmático comunicado, intituldo “Desabafo…”, no qual refere que “num país Iivre, qualquer cidadão tem Direito à Liberdade de opinião”.

Aparentemente relacionado com a situação do CS Marítimo, e com declarações recentes do ex-presidente à RTP-Madeira sobre a hipótese de um clube único, na RAM, o comunicado refere que “prestações aos cofres da Segurança Social não são prestações aos cofres da Região, têm outro objectivo. Qualquer entidade, mesmo de utilidade pública, assim isenta de impostos, tem de pagar pelos Serviços que aufere, exemplo água e luz, etc. Não são “contributos para os cofres da Região”. Haja verdade e competência no que se diz!”, reclama

“O Povo Madeirense, que é Quem conta, respondeu-me expressivamente dez vezes, cinco das quais após uma cena politicamente organizada num campo de futebol e que culminou na demissão dos respectivos responsáveis”, aponta Jardim.

“Define o carácter de pessoas que temporariamente regem uma lnstituição, me acusarem de, como governante, nada ter feita pela Mesma!”, refere o antigo líder madeirense, sem nunca mencionar o Marítimo.

“Numa Instituição que aufere importantes verbas públicas e devia investir nos seus pontos fracos, é lícito gastar em excursões e arraiais?”, termina Alberto João Jardim.