JPP diz que agricultores se queixam do preço pago pelos produtos

O JPP visitou no domingo a Festa do Pêro, na Ponta do Pargo, contactando com vários agricultores. E vem dar conta de que “todos eles “se queixaram da dificuldade de escoamento e do preço pago pelos produtos agrícolas”.

A afirmação é de Élvio Sousa, porta-voz da iniciativa. Para o presidente do grupo parlamentar, “é claro que este Governo de coligação PSD/CDS não é amigo do pequeno agricultor, pois não há valorização do seu trabalho”.

O líder do grupo parlamentar do JPP recordou, a propósito, os aumentos substanciais nos adubos e custos de produção que “vieram dificultar o trabalho árduo destas pessoas” e questionou: “onde estão os apoios aos fatores de produção prometidos? Onde paira o pagamento do preço justo aos sectores produtivos da Região?”.

O deputado reforçou a importância de “reduzir a dependência dos produtos agrícolas do exterior que, como sabemos, beneficia única e exclusivamente os negócios e as empresas ligadas às importações e os monopólios instalados, em prejuízo dos nossos agricultores”.

“É preciso questionar a Miguel Albuquerque por que razão nem um euro do PRR ou da Bazuca é investido para ajudar os nossos agricultores?”, referiu.

O deputado recordou que, “dos mais de 560 milhões de euros que o Governo PSD/CDS vai receber, nem um tostão será canalizado para ajudar os agricultores. A grande fatia vai para engordar ainda mais, o senhor Governo. Como se costuma dizer, de forma popular, o «porquinho ainda vai engordar» mais com o dinheiro da Bazuca”.

Para o JPP não restam dúvidas: “Numa altura que, de acordo com o último recenseamento agrícola assistimos a uma redução na população agrícola familiar em cerca de 9% , ou seja menos 3800 pessoas, e uma redução de 15% da superfície agrícola útil, enquanto no continente cresceu 8,1%, o Governo Regional da Madeira tem de repensar, urgentemente, a política aos sectores produtivos”, concluiu.