Salman Rushdie esfaqueado em Nova Iorque

Salman Rushdie, prestigiado escritor britânico de origem indiana, foi hoje esfaqueado por um indivíduo quando se preparava para proferir uma conferência em Nova Iorque, segundo a BBC, que refere mútiplas facadas, algumas das quais no pescoço. O homem que o esfaqueou também atacou o entrevistador, no palco do evento.

Rushdie foi transportado para o hospital de helicóptero. Um suspeito foi detido pela Polícia. Sabe-se que o escritor ainda está vivo, mas não a extensão da gravidade dos seus ferimentos.

O escritor britânico Salman Rushdie tornou-se, internacionalmente, um símbolo importante da necessária liberdade de expressão das artes e da literatura e, ao mesmo tempo, uma vítima da intolerância de cariz religioso. Já vencedor do prestigiado Booker Prize em 1981, saltou verdadeiramente para a ribalta quando publicou em 1989 “Os Versículos Satânicos”, que, naturalmente sem o lerem, incorreu na ira de um certo clero e correspondentes fanáticos islâmicos, que consideraram o livro atentatório da sua fé.

O aiatollah Khomeini, então líder religioso iraniano, considerou-o uma blasfémia contra o Islão e emitiu uma “fatwa”, um decreto condenando o “apóstata”, punível com a morte, segundo a lei “Sharia”. E incentivou ao assassinato do autor, que teve de viver durante anos escondido e com protecção policial.

Entretanto, o tema foi “esfriando” e já há muitos anos que Rushdie residia em Nova Iorque.