PCP solidário com a luta dos trabalhadores do setor da saúde na Madeira

Foto DR

O Partido Comunista Português (PCP) diz estar «solidário com a luta dos trabalhadores da Saúde da Região Autónoma da Madeira e saúda todos os trabalhadores que aderiram à jornada de luta agendada para hoje, dia 30 de junho, pelo movimento sindical.»

«Os trabalhadores da Saúde estão cansados de esperar pela implementação das suas reivindicações. Ano após ano, as promessas de solução aos problemas dos trabalhadores são adiadas enquanto a falta de condições de trabalho é agravada. Esta é uma situação lamentável.», refere o partido através de comunicado.

Segundo o PCP, «estes trabalhadores e as suas associações representativas lutam pela valorização das carreiras, pelas melhorias de condições de trabalho, pela dignificação e valorização profissional, pela admissão de mais trabalhadores e pela defesa do Serviço Regional de Saúde.»

«O reconhecimento destes profissionais não pode ficar pelos aplausos e pelos discursos de circunstância, alguns dos quais proferidos por quem durante anos desvalorizou profissionalmente estes trabalhadores, desvalorizou os salários e as carreiras, aumentou os ritmos de trabalho, usando e abusando de horas extraordinárias em geral não pagas nem compensadas.», acusa o PCP.

«Infelizmente, não são apenas em dias de greve que muitas unidades de saúde e serviços do SESARAM e de outras instituições públicas de saúde funcionam com os serviços mínimos, pois todo o ano estas unidades de saúde funcionam com os serviços mínimos ou abaixo dos serviços mínimos por falta de trabalhadores.»